Após início de depressão, animal mais velho do Bosque de Ribeirão Preto (SP) vive em quarentena

Após início de depressão, animal mais velho do Bosque de Ribeirão Preto (SP) vive em quarentena
Assista ao vídeo que mostra Kiko arremessando uma banana.

Com 24 anos, o Babuíno Sagrado Kiko é, atualmente, o animal mais velho do Bosque Zoo Fábio Barreto, em Ribeirão Preto. O macaco vive em quarentena, fora de exposição, por conta de um início de depressão que teve perante o público no recinto em que vivia.

Kiko nasceu no bosque, onde conviveu por muito tempo com duas fêmeas da mesma espécie. De acordo com Marisa dos Santos, bióloga do local, o macaco nasceu no final de 1993. Esta espécie vive em média de 35 a 40 anos em cativeiro, o que faz dele um animal já de terceira idade.

“A família do Kiko veio de um homem que possuía criadouros de animais e os vendia para zoológicos no século passado. Quando nasceu, ele era dócil, mas com o tempo foi absorvendo um temperamento diferente”, fala Marisa.

Kiko em seu primeiro ano de vida.

A bióloga conta que, antes de Kiko ser levado à quarentena, em um recinto exclusivo e espaçoso, as pessoas o irritavam durante a visitação. “Visitantes percebiam o comportamento mais sério do Kiko e o provocavam. Foi assim que ele começou a jogar coisas nas pessoas. O macaco até se mordia por estresse”.

Marisa diz que, apesar de bravo, Kiko é gentil – e apaixonado por iogurte. A organização do zoológico de Ribeirão já tentou, inclusive, transferi-lo para outro espaço. “Nós tentamos encontrar outro zoológico para o Kiko, mas não conseguimos, pois babuínos sagrados possuem o macho alfa na frente do grupo. Nosso macaco poderia morrer e se machucar em outros lugares”.

O diretor do bosque Alexandre Gouvêia explica que tirar o Kiko de exposição foi o melhor para o animal. “As pessoas acreditam que os animais precisam fazer gracinhas, mas não é assim. Eles têm liberdade para terem qualquer comportamento”, explica.

Atualmente Kiko possui 24 anos.

A espécie de Kiko é natural de florestas, mas prefere regiões montanhosas cobertas de rica vegetação. O animal pode encontrado na África e em partes da Ásia.

Vídeo:

Por Pedro Gomes 

Fonte: Revide


Nota do Olhar Animal: Além da molestamento por parte dos visitantes, o mero confinamento nos zoológicos já provoca impactos psicológicos nos animais, chamados de zoochosis. Está mais do que na hora de acabar com esta instituição medieval, que causa danos animais e deseduca a população.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.