Após maus-tratos, quinze cavalos recolhidos na Grande Florianópolis (SC) estão para adoção

Após maus-tratos, quinze cavalos recolhidos na Grande Florianópolis (SC) estão para adoção

O abandono de animais domésticos é um problema que tem dado trabalho para a administração pública. A dificuldade quadruplica de tamanho quando se trata de equinos. Em São José, não surpreende deparar-se com um cavalo no passeio público.

A ocorrência é tão frequente que a Fundação Municipal de Meio Ambiente de Desenvolvimento Sustentável firmou um convênio com a Cavalaria da Polícia Militar de São José para que os animais tivessem um local adequado, enquanto recebem acompanhamento veterinário e se recuperam dos maus-tratos que sofreram. Após isso, eles podem ser adotados por quem se comprometer a cuidar bem deles.

Para se candidatar a levar para casa um cavalo, o interessado deve comparecer à sede da Fundação de Meio Ambiente com documentos pessoais e comprovante de endereço pessoal e do local que será destinado ao animal, se for diferente. Também precisará fazer um requerimento de próprio punho, indicando o motivo do interesse e se comprometendo em cuidar do animal. Um fiscal da fundação visita o local e após aprovação o animal pode ir para o novo lar.

De acordo com o convênio, o Município é responsável pela alimentação, medicação e o atendimento veterinário, cujo profissional é do quadro da prefeitura.

A superintendente de Meio Ambiente, Fernanda Vieira Diniz Farias, afirmou que não há casos de devolução de cavalo adotado e nem notícias de problemas ocorridos após a adoção. “Com certeza todos estão muito bem”, comentou. Na Cavalaria de São José há 15 animais aptos a serem adotados.

O endereço da Fundação de Meio Ambiente é rua Cauassú, Jardim Botânico, bairro Potecas. Telefone: 3288-4313.

Animais saudáveis e chipados

Apenas os equinos em situação de abandono na via pública são recolhidos pela Fundação de Meio Ambiente. O animal abandonado é recolhido e levado para a Cavalaria, onde passará por exames médicos e ficará em quarentena. Os exames são para verificar se o equino tem anemia infecciosa ou mormo.

Após ter recuperado a saúde, o cavalo recebe um chip de identificação. Se durante o processo de recolhimento, o proprietário do animal se manifestar, ele terá que assinar um termo de compromisso para reaver o cavalo.

Quando há comprovação de que houve maus-tratos, o tutor não terá o animal devolvido e sofrerá multa e processo administrativo. “A Fundação representa o caso no Ministério Público para apuração de crime ambiental”, explicou a superintendente Fernanda Vieira.

A denúncia de cavalo abandonado na via pública pode ser feita à Guarda Municipal no número 153.

Por Marcela Ximenes

Fonte: ND Mais

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.