Campanha vai debater maus-tratos contra animais — Foto: Reprodução

Após morte de garça no Horto Florestal, campanha alerta para maus-tratos de animais em Rio Branco, AC

A Secretaria de Meio Ambiente de Rio Branco iniciou uma campanha para falar sobre maus-tratos de animais. A ação ocorre após um grupo de crianças matar uma garça, nesta terça-feira (12), no Horto Florestal.

VÍDEO: Após morte de garça no Horto Florestal, campanha alerta para maus-tratos de animais

A secretária municipal de meio ambiente, Paola Daniel, explicou em entrevista do Jornal do Acre 1ª edição que existe a criação de um conselho de defesa e proteção dos animais.

“Iniciamos essa semana com a campanha vinculada aos maus-tratos de animais. A lei que prevê os maus-tratos é de 2002 e é fiscalizada pela Semeia, mas acho que não tem muita publicidade. Acaba que as pessoas não sabem como proceder. A campanha é justamente nesse sentido: maus-tratos, como proceder”, ressaltou.

Garça vivia no lago do Horto Florestal e foi morta por crianças, segundo a administração — Foto: Reprodução
Garça vivia no lago do Horto Florestal e foi morta por crianças, segundo a administração — Foto: Reprodução

Paola diz que as tratativas para a campanha eram trabalhadas há duas semana. Infelizmente, segundo ela, o início culminou com a morte da ave que vivia no lago do Horto.

“Estamos formando esse conselho para atuar de forma mais forte no combate aos maus-tratos. Acabou que culminou nesse acidente que tivemos no Horto Florestal. Nossa garça, que virou meio que um símbolo aqui no Horto, foi morta por crianças com estilingue”, lamentou.

Morte

A secretária afirmou que a ave aparecia no Horto sempre no inverno. A ave apareceu por conta própria, era mansa e interagia com os visitantes do espaço. Na terça, uma criança apareceu na porta da administração com a garça nas mãos tentando reanimá-la.

“Não é a simples morte da garça, é a representatividade que isso tem dentro da nossa sociedade hoje. Primeiramente porque foi feito por crianças. A educação ambiental precisa ser fortalecida nas escolas, comunidades e em casa. Os pais precisam tratar isso com as crianças”, criticou a secretária.

Por Aline Nascimento e Lidson Almeida, G1 AC — Rio Branco

Fonte: G1