Após petição, MP fecha acordo com Carrefour em prol dos animais

Após petição, MP fecha acordo com Carrefour em prol dos animais
Ativistas levaram assinaturas da petição ao Ministério Público. Crédito: Yahisbel Adames/Change.org

O Ministério Público de São Paulo fechou, no último dia 15, um acordo de R$ 1 milhão com o Carrefour em decorrência da morte do cão Manchinha, espancado por um segurança do hipermercado em novembro do ano passado, em Osasco, na Grande São Paulo. O termo de compromisso foi firmado após um abaixo-assinado iniciado na Change.org atingir mais de 2 milhões de assinaturas. A petição, criada dias após a morte do cachorro, pedia justiça para o animal.

O acordo prevê que o dinheiro seja destinado a um fundo do município de Osasco voltado para a causa animal. O total deverá ser dividido entre ações de castração de cães e gatos, compra de remédios para o Hospital Municipal Veterinário e de rações para ONGs de defesa dos animais na cidade.

O abaixo-assinado que pedia justiça pelo cãozinho foi aberto pela aposentada Vera Costa, moradora de Votorantim (SP), que se sensibilizou com o ocorrido e conseguiu mobilizar 2.167.287 apoiadores em torno da causa.

“Ficamos muito felizes com essa conquista! Nosso muito obrigado também ao promotor Gustavo Albano que se esforçou no caso e gentilmente aceitou nos receber, nos ouvir e protocolar as assinaturas desta petição ao processo”, comenta Vera em atualização publicada no abaixo-assinado. Em dezembro do ano passado, a aposentada e o advogado Rodrigo Chizzolini se reuniram com o promotor para entregar as assinaturas da petição.

O Carrefour divulgou uma nota a respeito do acordo firmado:

“O Carrefour informa que firmou acordo com o Ministério Público do Estado de São Paulo e Município de Osasco em prol da causa animal, após episódio ocorrido em sua loja de Osasco (SP), no ano passado. A partir do seu compromisso e transparência com toda a sociedade, a empresa irá reverter R$ 1 milhão a fundo ligado à causa que será criado pelo município, sendo R$ 500 mil destinados para a castração de cães e gatos, R$ 350 mil à compra de medicamentos para o Hospital Municipal Veterinário ou canil municipal e R$ 150 mil à compra de ração para associações, ONGs e demais entidades na cidade.

O acordo, que será remetido ao Conselho Superior do Ministério Público para homologação, prevê que a Promotoria de Justiça de Osasco será responsável pelo acompanhamento e fiscalização quanto ao cumprimento do acordo. O Carrefour reforça ainda que já implementa extenso plano de ação em prol da causa animal, estruturado com o apoio de diversas ONGs e entidades, com ações concretas em curso na cidade de Osasco e no país. As informações estão disponíveis no canal criado exclusivamente para informar a sociedade sobre essas e outras iniciativas: carrefour.com.br/ causa-animal”.

Relatos apontam que cachorro foi brutalmente agredido.

Relembre o caso

Em novembro do ano passado, o cãozinho abandonado foi envenenado e espancado por um segurança do hipermercado Carrefour, em Osasco. A Prefeitura do Município informou que o Departamento de Fauna e Bem Estar Animal foi chamado e socorreu o animal, mas devido a uma hemorragia interna, ele acabou morrendo.

Após o ocorrido, o Carrefour afastou o funcionário, que era de uma empresa terceirizada. O caso foi investigado pela Polícia Civil, por meio da Delegacia de Polícia de Investigações sobre o Meio Ambiente de Osasco.

Caso o Caso o Carrefour descumpra o estabelecido, pagará multa de R$ 1 mil por dia de atraso no cumprimento das obrigações.

Fonte: Change.org (Oficial) viaCatraca Livre

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.