Após prisão, tutor que quebrou patas de cachorra e a matou queimada em colchão é multado em R$ 6 mil pela Polícia Ambiental

Após prisão, tutor que quebrou patas de cachorra e a matou queimada em colchão é multado em R$ 6 mil pela Polícia Ambiental
Cachorra foi queimada em colchão em Rio Claro — Foto: Arquivo pessoal

A Polícia Militar Ambiental de Rio Claro (SP) multou em R$ 6 mil o tutor que quebrou as patas da cachorra Pandora e a matou queimada em um colchão no dia 18 de maio. O homem foi preso e teve a prisão convertida em preventiva (quando não há prazo para terminar), na segunda (20).

O g1 não conseguiu localizar a defesa de Vanderlei da Silva Pereira, de 49 anos, até a última atualização da reportagem.

A multa foi aplicada no sábado (25) após solicitação da Polícia Civil, com base no Artigo 29 da Resolução SIMA 05/2021. A fêmea da raça Akita foi agredida a pauladas e teve as 4 patas quebradas. Depois, o homem a envolveu em um colchão e a carbonizou.

Por conta da morte da cachorra, o valor da multa foi dobrado de R$ 3 mil para R$ 6 mil. A infração foi entregue à mãe do homem.

VÍDEO: Homem mata cachorra queimada em colchão em Rio Claro

Relembre o crime

O crime de maus-tratos aconteceu na Vila Operária, no sábado (18). A GCM foi chamada por volta das 16h40 e, quando chegou ao local, encontrou a equipe do Corpo de Bombeiros apagando o fogo em um colchão no quintal. A cadela estava completamente carbonizada.

Colchão usado para queimar a cachorra em Rio Claro (SP) — Foto: Guarda Civil Municipal/Divulgação
Colchão usado para queimar a cachorra em Rio Claro (SP) — Foto: Guarda Civil Municipal/Divulgação

Segundo informações do boletim de ocorrência, registrado pela CGM, o tutor contou aos agentes que estava no quintal e “que a cadela começou a perturbá-lo, uma vez que não parava de pular em suas pernas”.

Irritado, o homem disse que segurou a cachorra bruscamente para desferir golpes com um pedaço de madeira da cabeça do animal. Ele ainda quebrou as quatro patas da cadela, que tentava se defender.

Em seguida, ele pegou um colchão velho que estava no quintal, colocou a cachorra em cima e a queimou viva.

De acordo com a GCM, um vizinho contou que ouviu de casa a cachorra sofrendo e chorando antes de o tutor atear fogo no colchão.

A GCM acionou a veterinária do Departamento de Proteção Animal de Rio Claro que, após exames no local, ainda encontrou um corte no pescoço da cachorra. O corpo de animal foi levado pela médica para o descarte adequado.

O tutor do animal foi levado para a delegacia seccional onde foi preso em flagrante por maus-tratos a animal. Segundo a Polícia Civil, ele não apresentou advogado na ocasião

Crime de maus-tratos

Maus-tratos, abuso e violência contra animais é crime previsto por lei. A pena é de dois a cinco anos de prisão, multa e perda da guarda do animal.

Denúncias de crimes contra animais podem ser feitas na Delegacia Eletrônica de Proteção Animal (DEPA) ou na delegacia do município.

Fonte: G1


Nota do Olhar Animal: É claro que esta não pode ser a única punição. O sujeito responderá criminalmente por este ato cruel.