Após proibição de animais de grande porte na Grande Vitória (ES), carroceiros interditam BR 101 na Serra

Após proibição de animais de grande porte na Grande Vitória (ES), carroceiros interditam BR 101 na Serra
Pneus foram incendiados na pista. (Foto: Leitor / WhatsApp Folha Vitória)

Depois da lei que proíbe a permanência e utilização de animais de grande porte em cidades capixabas com mais de 100 mil habitantes, carroceiros interditaram a BR 101 em protesto. De acordo com pessoas que passavam pelo local, o bloqueio aconteceu entre os bairros Laranjeiras e José de Anchieta, na Serra, no Km 266, em frente a um supermercado, na manhã desta sexta-feira (13). Eles ainda atearam fogo em pneus.

Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), uma equipe foi ao local para negociar com os manifestantes, que de acordo com os policiais, reivindicam sobre a lei que proíbe a circulação de carroças. A Central de Videomonitoramento do município informou que cerca de 40 pessoas estão no local. Por volta das 11 horas eles liberaram as vias.

A lei, que já está em vigor desde a última sexta-feira (6), tem validade para Vitória, Vila Velha, Cariacica, Serra, Cachoeiro de Itapemirim, Guarapari, Linhares, São Mateus e Colatina, que são os únicos municípios do Espírito Santo que têm população superior a 100 mil.

Os dois sentidos foram bloqueados. (Foto: Divulgação/PRF)
Os dois sentidos foram bloqueados. (Foto: Divulgação/PRF)

A nova legislação prevê desde a remoção, acolhimento e destinação dos animais irregulares até multas para os tutores em caso de necessidade de resgate. Nesse caso os valores arrecadados serão revertidos para o Fundo Estadual do Meio Ambiente.

Proibição já existia em Vitória

Em Vitória, uma lei que está em vigor desde julho de 2015 veda os veículos de tração animal. Quem infringir a regra está sujeito ao pagamento de multa, que varia conforme o caso.

Fonte: Folha Vitória


Nota do Olhar Animal: A proibição deve ser ampliada, não restringindo-se a cidades com mais de 100 mil habitantes. porém, deve vir acompanhada de capacitação dos carroceiros para novas atividades ou a substituição dos cavalos por outras formas de tração.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.