Após protestos, governador do RJ restabelece Subsecretaria de Proteção Animal no mesmo dia que publica extinção da pasta

Após protestos, governador do RJ restabelece Subsecretaria de Proteção Animal no mesmo dia que publica extinção da pasta
Decisão de extinguir subsecretaria foi publicada no Diário Oficial — Foto: Reprodução

O governador em exercício do RJ, Cláudio Castro, voltou atrás após determinar nesta terça-feira (6) a extinção da subsecretaria de Proteção e Bem-estar Animal (Supan).

A decisão de acabar com a pasta e demitir todos os funcionários chegou a ser publicada no Diário Oficial. A medida não foi comunicada previamente aos servidores da subsecretaria e todos foram trabalhar mesmo tendo sido exonerados.

O G1 procurou o Governo do RJ para questionar o assunto e foi informado que Castro “tornou sem efeito o decreto que extinguiu a Subsecretaria de Bem-Estar Animal”, que foi publicado nesta terça-feira (6).

A subsecretaria, que estava ligada à Secretaria de Estado de Saúde, será transferida para a Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Ex-subsecretária lamentou extinção
 
O G1 conversou com a agora ex-subsecretária de Proteção e Bem-Estar Animal, Karla de Lucas, sobre a medida de Castro. Antes de saber que a pasta seria restabelecida, ela lamentou a extinção.

“Eu soube pelo Diário Oficial, acredita? Não fomos avisados. Eles fazem por debaixo dos panos. Minha equipe chegou para trabalhar e vimos a extinção no Diário Oficial. Eles extinguiram para criar um fundo da saúde, sabe-se lá como será esse fundo”, disse a ex-subsecretária.

“Eu vejo com descaso do governo e falta de respeito. Não só com as pessoas que trabalham aqui, mas principalmente com os animais. Os animais representam lixo para ele. Quem não gosta de bicho, não gosta de gente. Os animais voltam a ficar órfãos em todo o estado”, completou.

Cadela Esperança resgatada no Rio pela Supan. — Foto: Divulgação/ Subsecretaria de Proteção e Bem-estar Animal do Rio

Pasta sem orçamento
 
Karla de Lucas afirmou ainda que a pasta não tinha orçamento e que todos os gastos e as ações realizadas foram custeadas por ela. Apesar da falta de incentivo, sua equipe esteve presente em diversos casos como o resgate de 55 animais em Niterói, na Região Metropolitana do Rio, e do assassinato do pitbull em São Cristóvão, Zona Norte.

“A subsecretaria foi criada sem verba nenhuma, a gente não tinha orçamento para nada. Tudo que foi feito, saiu do meu bolso. Sempre trabalhamos por amor. Os coletes que a gente usava da Supan foram pagos por mim, não tínhamos nem veículo. A única coisa que a gente tinha era o nosso salário”, afirmou.

A Subsecretaria de Proteção e Bem-Estar Animal do Estado do Rio de Janeiro recebeu, na tarde desta terça-feira (6), a informação que o governador em exercício, Cláudio Castro, tornou sem efeito o decreto que extinguiu a SUPAN. Assim que a medida for revogada, a estrutura será transferida para a Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Os funcionários da SUPAN também foram informados que serão renomeados.

Governador é cobrado na internet

Governador Cláudio Castro é criticado em rede social após extinguir pasta de proteção aos animais. — Foto: Reprodução/Internet

A informação de que a subsecretaria estava extinta circulou nas redes sociais e um grupo de pessoas criticou o governador em exercício Cláudio Castro. Em sua conta no Intstagram, alguns cariocas cobraram medidas sobre o assunto.

“Como assim acabar com a subsecretaria do bem-estar dos animais. Mais um retrocesso. Governo vergonhoso”, disse uma pessoa.

“Parabéns, Cláudio Castro, pelo desserviço prestado na extinção da Supan”, ironizou outra.

‘Retrocesso’, diz defensora da causa animal 

A presidente da ONG Golias, Greicy Taranto, afirmou ao G1 que a decisão é um retrocesso para o estado. Em luta pela causa animal há mais de 10 anos, ela afirmou que a situação é muito triste.

“Estou me vendo em desespero ao saber que o único órgão que fazia algo pelos animais que vivem nas ruas não darão continuidade. Nós, da proteção dos animais no estado do Rio de Janeiro, nos sentimos desolados e sem saber o que fazer daqui para frente. Muito triste. Os animais do Rio de Janeiro continuarão a sofrer, é um retrocesso”, disse Greicy.

Por Matheus Rodrigues

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.