Após vídeo viralizar, homem adota cão que fez xixi em suas costas

Após vídeo viralizar, homem adota cão que fez xixi em suas costas
O estudante foi surpreendido por um 'líquido quentinho' nas costas (Créditos: Reprodução / Facebook)

Na última sexta-feira, dia 13, o estudante de educação física Heinze Sánchez, de 27 anos, estava sentado mexendo no celular em uma rua de São João de Meriti, na Baixada Fluminense, quando foi surpreendido por um cachorro que fez xixi em suas costas. A cena foi registrada por uma câmera de segurança e repercutiu nas redes sociais.

Em um primeiro momento, o ocorrido irritou o rapaz, mas logo depois o sentimento mudou e a história teve um final feliz. Assim que acordou no dia seguinte, Heinze voltou ao local para procurar o cão e decidiu adotá-lo. O animal ganhou o nome de Enzo Sánchez.

Nas imagens, o cachorro levanta a perna e faz xixi em Heinze (Créditos: Reprodução / YouTube)
Nas imagens, o cachorro levanta a perna e faz xixi em Heinze (Créditos: Reprodução / YouTube)

Ao Catraca Livre, o estudante contou que ficou indignado ao sentir um “líquido quentinho” escorrendo em suas costas. “Não acreditei que aquilo estava acontecendo”, afirma.

Nas imagens, o rapaz faz o movimento de um chute para dar um susto no cachorro, mas foi bem longe dele e não o machucou. Heinze só soube que o vídeo estava circulando na internet porque um homem no metrô estava comentando sobre o caso.

A história de Heinze e o cão teve um final feliz (Créditos: Arquivo Pessoal / Heinze Sánchez)
A história de Heinze e o cão teve um final feliz (Créditos: Arquivo Pessoal / Heinze Sánchez)

“Quando o encontrei, ele já veio todo dócil, parecia que nada tinha acontecido. Busquei informações de quem era ele e todos disseram que era de rua. Começou a chover, então peguei ele é levei para casa já que não tinha dono”, relata.

Veja a publicação no Facebook:

https://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=1911321625855472&id=100009329597664

Por Heloisa Aun

Fonte: Catraca Livre

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.