Apreensão de aves no Oeste Paulista cresce 144% no 1º quadrimestre

Apreensão de aves no Oeste Paulista cresce 144% no 1º quadrimestre

Conforme a Polícia Ambiental, região está ligada à rota de tráfico. Cadastramento pode ser feito para obter licença para criação.

SP oeste apreensao1

No mês de abril, 73 aves foram apreendidas no Oeste Paulista. Destas, 44 foram em Piquerobi, 22 em Pacaembu, três em Lucélia e quatro em Presidente Prudente. O número de ocorrências no primeiro quadrimestre de 2015 totaliza 105 apreensões de pássaros, quantidade bem maior que as 43 apreensões realizadas no mesmo período de 2014. Isso indica uma alta de 144,18% nos casos de apreensões de animais silvestres.

Segundo as informações da Policia Ambiental de Presidente Prudente, muitas aves e filhotes de psitacídeos (papagaios, maritacas, periquitos, araras), vindos do Mato Grosso do Sul e do Mato Grosso tem como rota a Rodovia Raposo Tavares (SP-270), passando por Presidente Prudente com direção a São Paulo e Rio de Janeiro. Todos os animais capturados são depositados na Associação de Proteção de Animais Silvestres (Apass) que fica em de Assis.

O aposentado Moacir Tetila, de 74 anos, de Santo Anastácio um criador de aves desde criança, há mais de 60 anos. Ele herdou do pai o gosto por criar canários. Hoje possui mais de 400 aves em um viveiro construído no sítio onde mora. O aposentado faz parte da Associação de Criadores de Canários de Presidente Prudente, que possui 30 criadores na região.

Conforme a Polícia Ambiental, para manter um animal silvestre e não reproduzir, pode-se compra-lo junto a um Criadouro Comercial autorizado pelo órgão ambiental competente, que no estado de São Paulo é a Secretaria do Meio Ambiente.

O Criadouro Comercial ou Estabelecimento Comercial autorizado emitirá uma nota fiscal numerada válida com os dados do animal, como nome científico, sexo, marcação individual, número da autorização do empreendimento junto ao órgão ambiental.

Caso a intenção seja criar pássaros nativos e reproduzi-los, pode-se cadastrar como Criador de Pássaros Silvestres Nativos (Criação Amadorista de Passeriformes). Esta atividade está limitada à criação destas espécies. Este cadastro é feito pelo site do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), porém é validado pela Secretaria do Meio Ambiente mediante vistoria presencial. A vistoria é agendada pelo telefone (11) 3819­4712, ainda segundo a polícia.

Após a validação, o interessado emitirá a licença no sistema SISPASS, no site do Ibama, que deverá ser renovada todos os anos. Esta licença permite receber e transferir pássaros cadastrados no sistema (identificados com anilhas próprias), entre os criadores cadastrados e licenciados. Não é permitido o comércio de aves cadastradas nesta categoria, portanto é destinada a pessoas que gostem e que queiram manter a atividade como lazer.

Há também a possibilidade de solicitar autorização para Mantenedor de Fauna Silvestre. Esta é uma categoria de empreendimento de fauna que não está limitada a passeriformes, porém não autoriza a reprodução dos animais mantidos.

Podem ter acesso pessoas físicas ou jurídicas que queiram receber animais silvestres apenas para mantê-los até o fim da vida deles. A ideia é auxiliar o Estado nos cuidados de aves que não podem retornar à natureza. Para solicitar autorização para esta categoria é necessário consultar o site.

Durante o primeiro quadrimestre a quantidade de cadastros de Criadores Amadoristas de Passeriformes homologados foram somaram 1617 em todo o estado. O último levantamento que o Ibama fez apontou que em julho de 2014 existiam 100.451 criadores amadoristas de passeriformes no Estado de São Paulo. Segundo dados do órgão, a atividade vem crescendo muito no estado, ultrapassando o número de criadores cadastrados em Minas Gerais, estado que detinha o maior número de criadores cadastrados no Brasil.

Serviço – Aqueles que desejam se tornar criadores de animais silvestres devem entrar em contato com o Centro Técnico Regional de Fiscalização Ambiental da Secretaria Estadual do Meio Ambiente, situado à Rua Eufrásio de Toledo, nº 38, no Jardim Marupiara em Presidente Prudente. Os telefones de contato são (18) 3221-­7902 ou (18) 3221-­5270.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.