Apucarana (PR) resgata 9 animais por semana em situação de maus-tratos

Apucarana (PR) resgata 9 animais por semana em situação de maus-tratos

Dados levantados pelo canil municipal de Apucarana demonstram que em 2020, de janeiro até a primeira semana de outubro, 350 animais foram resgatados vítimas de maus tratos na cidade. O número representa aproximadamente 9 resgates por semana ao longo deste ano. Negligências com a alimentação dos animais e ambientes insalubres são as práticas mais comuns. 

Janeiro e junho foram os campeões de registros de resgates: ambos os meses tiveram 44. Já em março, mês em que o isolamento social teve início por causa da pandemia, as ocorrências diminuíram em 50%, sendo registrados apenas 22 casos. De acordo com o coordenador do canil municipal Luan Rafael da Silva Santos, foram registradas em média 40 situações de maus tratos por mês neste ano. “No mês de março esse número caiu porque nosso trabalho de fiscalização nas casas ficou paralisado por 15 dias e também acredito que o fato de as pessoas ficarem mais em casa fez com que a negligência com os animais diminuísse, mesmo assim, ao longo do ano, os registros são muitos. Trabalhamos com este tipo de resgate todos os dias”, pontuou Santos. 

O coordenador conta que dezenas de denúncias chegam diariamente até o órgão, que tem a responsabilidade de fiscalizar a veracidade das situações repassadas. “Nossos fiscais vão até o local denunciado e verificam a situação do animal. Se confirmado o caso de maus tratos, o tutor responsável pelo animal recebe uma notificação e tem um prazo de 24 a 48 horas, dependendo da gravidade, para realizar as adequações. Passado esse prazo, nós realizamos boletim de ocorrência e vamos juntamente com a polícia civil até o endereço fazer o resgate do animal. As situações mais corriqueiras são de cachorros em corrente curta, sem água e sem comida, sem abrigo e em local insalubre”, explicou. 

“Uma situação marcante este ano foi o resgate de um cachorro da raça Border Collie que chegou no canil pesando 16 quilos. O normal para a raça é mais de 30 quilos. Além de magro e com o pelo feio, ele também demonstrava sinais de ter sofrido violência. Hoje ele está bem, em um lar temporário, aguardando por adoção”, contou o coordenador. 

Santos lembra que maus tratos contra animais configura crime e que agora, com a nova lei aprovada no Brasil, o responsável pode pegar até 5 anos de detenção, sem direito a fiança. “Essa Lei aprovada era uma luta antiga de protetores de animais e acredito que irá contribuir para a diminuição de casos já que as penalidades foram endurecidas”, concluiu.

Por Aline Andrade 

Fonte: TN Online

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.