Aquário de Miami responde ao Condado: “Não vamos sair daqui”

Aquário de Miami responde ao Condado: “Não vamos sair daqui”

Quinta-feira, 7 de março, foi um dia decisivo para o Miami Seaquarium. O espaço, que já vinha enfrentando diversos desafios nos últimos meses, finalmente recebeu aviso de rescisão de contrato. A prefeita de Miami-Dade, Daniella Levine Cava, decidiu emitir a carta de despejo com prazo até 21 de abril.

Diante desta decisão que já havia sido comentada, mas não foi concretizada, muitas dúvidas surgiram. Uma das principais é o que acontecerá com os animais que vivem nas instalações, para onde serão transportados e quem será o responsável por eles.

Além disso, a empresa gestora do aquário não vai sair sem lutar. Em resposta à notificação recebida, funcionários do parque marinho, localizado em Virginia Key, emitiram uma carta na tarde de sexta-feira, 8 de março.

De acordo com o comunicado divulgado e a menos de seis semanas do prazo que lhes foi dado, eles afirmaram que não irão embora. No documento informaram que pretendem apresentar provas de que as afirmações feitas pelo município não são verdadeiras.

As autoridades municipais tomaram a decisão de rescindir o contrato com The Dolphin Company, devido a múltiplas violações relativas à infraestrutura do local e à manutenção dos animais. Todos esses problemas foram refletidos em relatórios do Departamento de Agricultura (USDA) após inspeções no aquário.

“Nenhuma das falhas ou violações ocorreu, foi corrigida ou está em processo de correção durante o período especificado no contrato”, diz parte da carta da empresa.

Ficam ou se vão?

Eduardo Albor, presidente da The Dolphin Company, compareceu à prefeitura assim que soube da decisão. Através de uma publicação em seu perfil no X ele mostrou uma foto sua enquanto esperava ser recebido por Levine Cava.

 Publicação de Eduardo Albor. Foto via X @Eduuardoalbor
Publicação de Eduardo Albor. Foto via X @Eduuardoalbor

“Eles deveriam dizer à prefeita que estamos do lado de fora e o que quer que ela tenha a dizer sobre o Miami Seaquarium, temos o direito de ouvir e ser ouvidos. Um direito que nem ela nem Jimmy Morales nos deram. Ela deveria falar na nossa frente. Nós merecemos isso. Esperando do lado de fora do gabinete da prefeita. Ouse falar na nossa frente”, disse Albor em uma postagem adicional.

Porém, apesar da insistência, não houve resposta do líder local e o aquário decidiu emitir um comunicado.

“Não há motivos para a rescisão do contrato de arrendamento. O inquilino manterá a posse e operação do Miami Seaquarium pelo restante do contrato ou até que uma decisão judicial determine o contrário (…) Estamos altamente confiantes de que todos os animais continuarão a receber cuidados de primeira linha dos especialistas profissionais do Miami Seaquarium , como têm sido feito desde o primeiro dia sob a operação da The Dolphin Company”, diz parte do documento.

Comunicado do Miami Seaquarium. Foto via X @miamiseaquarium
Comunicado do Miami Seaquarium. Foto via X @miamiseaquarium

A melhor decisão para os animais do Miami Seaquarium

Pela forma como as autoridades distritais e os operadores do aquário têm atuado, parece que não será um processo rápido nem fácil. No entanto, quem tomou a decisão insiste que é o melhor passo a tomar, embora o parque funcione nessas instalações desde 1955.

“Vou deixar os meus advogados defenderem os nossos direitos, porque é ofensivo falar sobre o meu povo, o meu povo que é responsável pelos animais, por isso vou deixar os advogados fazerem o seu trabalho”, disse Albor ao 7News na quinta-feira, dia 7 de março.

O aquário funciona nesse espaço desde 1955. Foto Key Biscayne Independent
O aquário funciona nesse espaço desde 1955. Foto Key Biscayne Independent

Por sua vez, ativistas, veterinários e comunidade em geral celebraram a notícia com um brinde fora do aquário no mesmo dia em que anunciaram a ordem de despejo.

“A PETA está muito grata ao condado de Miami-Dade e pedimos que ajam rapidamente para garantir que transfiram os animais para instalações credenciadas, onde possam obter a ajuda de que precisam desesperadamente”, disse Wendy Fernandez, porta-voz da organização.

Por Luisana Valdivieso / Tradução de Alice Wehrle Gomide

Fonte: Miami Diario

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.