Mais de 15 gatos foram mortos entre quinta e sexta-feira, 7, no Parque da Sementeira (Foto: Projeto Manjedoura)

Aracaju: mortes de gatos no Parque da Sementeira vira caso de polícia

Integrantes do Projeto Manjedoura, que atua na proteção de animais abandonados, registraram na última sexta-feira, 7, um Boletim de Ocorrência na Delegacia de Meio Ambiente noticiando a morte de mais de 15 gatos que vivem no Parque Augusto Franco, mais conhecido como Parque da Sementeira.

De acordo com Clarissa Lobo a matança dos animais aconteceu entre a noite de quinta-feira, 6, e a madrugada da sexta-feira, 7. De acordo com os relatos da integrante do grupo de proteção animal, pessoas que circularam no parque no início da manhã se depararam com os gatos, a maioria filhotes, mortos e alguns deles com os corpos dilacerados.

Os cachorros foram avistados essa semana no parque (Foto: Projeto Manjedoura)
Os cachorros foram avistados essa semana no parque (Foto: Projeto Manjedoura)

Clarissa acredita que a matança tenha sido praticada por um bando de cachorros que vivem nos arredores do parque. “Sempre têm cachorros no parque, vez ou outra eles matam um gato. Sempre notamos a presença de três ou quatro, mas essa semana estavam num grupo de cerca de 10 cachorros, nunca tinha visto isso. Acreditamos que eles se organizaram em bando para caçar os gatos, mas o que nos intriga é que os cachorros de rua geralmente são mansos e se matarem é para comer. Eles não comeram os gatos, apenas mataram. Alguns patos e saruês também foram mortos”, conta.

Clarissa lembra que há cerca de cinco anos uma pessoa foi denunciada por estar soltando e treinando cachorros dentro do parque para caça. A suspeita é que esses animais sejam filhotes, hoje adultos, desses cachorros que foram treinados. “Teve investigação, era um funcionário do parque que treinava esses animais, mas ele não era dono dos animais. Como são muitos cachorros estamos achando que eles podem ser crias desses cachorros da época que foram reinados, e cães de caça ensinam os filhotes a caçar. Tem a possibilidade também de ter cadela no cio, e os ataques pode ter sido motivados por isso”, aponta.

Gatos mortos no Parque da Sementeira (Foto: Grupo Manjedoura)
Gatos mortos no Parque da Sementeira (Foto: Grupo Manjedoura)

Um grupo de pessoas do Projeto Manjedoura e de outras ONGs estiveram no Parque e nos arredores para tentar identificar os animais. Clarissa disse que um morador da redondeza contou que os cachorros mataram mais de 70 galinhas de sua criação. “Não sabemos se eles têm dono, se são criados soltos ou são da rua, mas é preciso identificar esses animais, castrar, identificar os donos, se tiver, e evitar que mais perdas aconteçam. Registramos o caso na delegacia do Meio Ambiente para que algo seja feito”, diz Clarissa que informou que uma das medidas para inibir esses ataques seria ajeitar os alambrados que cercam o parque.

“Tem que fechar o parque que hoje está cheio de furos nos alambrados, mas a questão é que a Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) não veem os gatos como sendo animais do parque. Eles compram ração para os patos, micos e outros animais do parque, mas os gatos nós que alimentamos porque senão eles morrem de fome. A Emsurb não tem o controle do abandono de animais porque o parque é aberto, mas eles estão lá, enfim, estamos tentando buscar medidas para proteger os animais que vivem na Sementeira”, enfatiza.

A Secretaria de Segurança Pública (SSP/SE) informou que a Polícia Civil instaurou procedimento para acompanhar o caso. O Portal Infonet entrou em contato com a Emsurb e com a Prefeitura de Aracaju, mas até a publicação da matéria não recebemos as informações solicitadas. O Portal Infonet continua à disposição através do e-mail: [email protected] e do telefone (79) 2106-8000.

Por Karla Pinheiro

Fonte: Infonet

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.