As pessoas não aguentaram ver esta raposa com dor – e fizeram a coisa certa

As pessoas não aguentaram ver esta raposa com dor – e fizeram a coisa certa

Por Zainab Akande / Tradução de Carla Lorenzatti Venturini

Às vezes, é necessária toda uma vila. Uma jovem raposa-vermelha tinha um bairro inteiro ao seu lado, determinado a ajudá-la a escapar de uma situação infeliz.

A raposa nasceu em um bairro de Cudahy, Wiscousin – as pessoas que moravam lá eram uma tanto apegadas às famílias de raposas vistas frequentemente zanzando por lá. Mas na semana passada, os residentes viram uma das jovens raposas, com aparentemente seis meses de idade, mancando, com uma ratoeira presa a uma de suas patas da frente.

“Era horrível de ver,” contou Barb Lierman, uma moradora de Cudahy, ao noticiário Fox 6 Now. “Eu estava chorando.” Foi quando as ligações começaram a chegar. Vários vizinhos entraram em contato rapidamente com o Wisconsin Humane Society’s Wildlife Rehabilitation Center (Centro de Reabilitação da Vida Selvagem da Sociedade Humanitária de Wisconsin), relatando a situação difícil e alarmante da raposa.

“Esta raposa tem amigos,” o centro de reabilitação escreveu no Facebook. “Amigos humanos. Muito deles… Eles pegaram uma armadilha nossa emprestada e colocaram no seu jardim, determinados a capturá-la e trazê-la para nós ajudarmos.”

Finalmente, no último dia 2 pela manhã, a armadilha chegou ao centro de reabilitação com a jovem raposa bem colocada dentro dela.

“Nós anestesiamos a raposa imediatamente e removemos a terrível ratoeira da sua pata dianteira direita”, o centro de reabilitação escreveu. “A pata tinha uma aparência e um cheiro horríveis. Alguns dos dedos estavam obviamente quebrados. A pata estava muito inchada… e havia larvas.”

A pata foi lavada e as larvas retiradas. A medicação tão necessária foi dada à raposa, antes de um “escudo” feito de garrafa plástica de água ser colocado na pata ferida da raposa e depois embrulhado com um pano para prevenir que o animal mastigasse e se machucasse ainda mais.

“Ela ainda tem um longo caminho pela frente, mas nós estamos satisfeitos com a aparência da pata machucada,” o centro de reabilitação escreveu no dia 6. “Além disso, ela está se alimentando bem, ganhando peso, toma seus medicamentos (escondidos em guloseimas) e não bagunçou o curativo ou a pata.”

As ratoeiras não são apenas não são apenas desumanas, mas alvos acidentais, sejam animais domésticos ou selvagens, frequentemente sofrem as consequências dessas armadilhas.

Graças à comunidade que se uniu pelo resgate da raposa, ela está finalmente em mãos seguras e não tem mais que sofrer com o desconforto de ter uma armadilha presa a si.

A comunidade de Cudahy planejava continuar a sua batalha pela raposa machucada organizando um evento em uma padaria local, onde todo o lucro será doado para os cuidados do animal.

Quer ajudar com os cuidados em curso desta raposa? Veja como você pode fazer uma contribuição aqui.

Fonte: The Dodo

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.