As pessoas se uniram para acabar com esse “concurso” onde crianças balançam porcos

As pessoas se uniram para acabar com esse “concurso” onde crianças balançam porcos

Por Christian Cotroneo / Tradução de Carla Lorenzatti Venturini

Você tem todos os porquinhos engraxados e os persegue ao redor de um pequeno cercado. O objetivo é ser o primeiro a agarrar um animal – e passá-lo por um bambolê.

É para crianças. Entende?

Bom, aparentemente, as pessoas que gostam de animais também não entendem. O Greasy Pig Contest (Concurso do Porco Engraxado), da Feira de South Mountain, em Ontário, Canadá, foi encerrado – graças a uma enxurrada de protestos que chegaram ao escritório do Ministério de Turismo, Cultura e Esporte de Ontário.

De acordo com a CBC News, os organizadores da pequena feira optaram por cancelar o evento ao invés de correr o risco de perder o dinheiro do patrocínio coletado pelo governo da província.

A campanha, controlada por um grupo de defesa chamado Toronto Pig Save (Salvação do Porco de Toronto), denunciou o evento como “assustador”.

Canada Ontario concurso criancas porcos2

Jacinta McDonnell, uma defensora de animais de Toronto e membro da Toronto Pig Save, estava entre as mil pessoas que assinaram e compartilharam o abaixo-assinado. Ela só precisou ver as fotos do evento para tirar suas conclusões.

“Você tem adultos ajudando crianças a agarrar um porco jovem,” ela conta ao The Dodo. “Existe uma preocupação sobre como os porcos estão sendo tratados. Até mesmo sobre a questão física de estarem lá fora ao calor.”

“E, é claro”, ela acrescenta, “há o terror”.

Canada Ontario concurso criancas porcos3

Enquanto os organizadores da feira não responderam aos pedidos do The Dodo por comentários, Paul Allan, presidente da South Mountain Fair, expressou desapontamento à CBC culpando, sobretudo, a interferência externa de pessoas que não moram na cidade.

“Estou muito chateado que seja uma pessoa de fora da nossa cidade,” disse Alan. “Essas pessoas de fora não sabem onde South Mountain fica… eu tenho grandes problemas com isso.”

Com certeza, culpar pessoas de fora não é uma resposta incomum entre aqueles que veem tradições de longa data virem a cabo de forma repentina. E, infelizmente, o concurso Greasy Pig dificilmente existiria sozinho como um evento com animal mascarado de entretenimento.

A Clarke County Fair (Feira do Condado de Clarke) fez um rito anual da sua Greased Pig Scramble (Corrida do Porco Engraxado), uma variação da sua prima canadense, que coloca competidores de diferentes idades tentando colocar um porco aos berros dentro de um saco.

E há a Ephrata Fair na Pennsylvania. Membros da In Defense of Animals (Em Defesa dos Animais) recentemente compareceu à Greased Pig Scramble, descrevendo-a desta forma:

“Um apito foi soprado e dúzias de crianças gritando e adultos correram em direção a um lindo e pequeno porco coberto de pedaços de gordura,” o grupo conta em sua página do Facebook. “Centenas de pessoas na plateia gritavam, riam, aplaudiam e faziam referência a bacon enquanto gritavam, ‘porco estúpido!’”

No National Peanut Festival (Festival Nacional do Amendoim) no Alabama, a história continua tristemente a mesma. Jornais locais divulgam crianças que ganharam o concurso do porco engraxado. Uma das estratégias das crianças?  “Você apenas pula sobre eles.”

Consegue visualizar isso? Não é uma boa imagem. E enquanto abaixo-assinados, como o que ajudou a acabar com o concurso Greasy Pig de Ontario, são parte da solução, há muito mais trabalho a ser feito.

Então gritos de terror nunca trazem alegria a um público.

Especialmente quando esses gritos são provenientes de animais que sabemos serem tão inteligentes como uma criança humana.

A sua feira local organiza competições semelhantes? Considere deixá-la de lado – e dizer aos organizadores locais porque você está fazendo isso.

E considere assinar tantos abaixo-assinados quanto você puder. Geralmente há um para cada evento de porco engraxado.

Você pode achar um aqui. E aqui. E aqui. E aqui.

Fonte: The Dodo

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.