Espanha Madri festas anti-taurinas H

As primeiras festas de San Antón com o partido Ahora Madrid serão anti-taurinas

A Prefeitura madrilenha quer celebrar o dia do patrono dos animais com oficinas e espetáculos para aumentar a consciência sobre a adoção responsável e a defesa dos direitos dos animais.

Tradução de Flavia Luchetti

Espanha Madri festas anti-taurinas

A Prefeitura da capital espanhola apresentou no dia 12 de janeiro o programa das Festas de San Antón de 2016, mas a programação que a equipe do partido Ahora Madrid preparou para celebrar a tradicional festividade do patrono dos animais já havia sido divulgada.

Após o discurso de abertura pela escritora Elvira Lindo, o centro de Madri sediará por três noites oficinas, mesas redondas e espetáculos infantis dedicados à conservação de espécies, o “não” à tauromaquia, a adoção responsável e o respeito pelos animais.

O que não foi mencionado no programa das festividades, organizado pela prefeitura, são as tradicionais missas, em que cada ano os animais de estimação são abençoados. O ato de abertura do evento contará com Padre Ángel, sacerdote da Igreja de San Antón, demonstrando que a Igreja continua sendo representada na tradicional festividade e se espera que as missas continuem a ser celebradas, mas que desta vez ficaram fora do folheto municipal.

Na apresentação de abertura, o pároco estará acompanhado pela Secretária do Meio Ambiente, Inés Sabanés, do Secretário do Distrito Centro de Madri, Jorge Castaño, e de um representante do Ecologistas en Acción.

“As festas de San Antón nasceram em tempos medievais e tinham como objetivo cuidar de forma coletiva dos animais que viviam nas ruas e praças de Madri” relembra o programa da Prefeitura. Para manter “este antigo espírito de amor aos animais” o programa conta, entre outras atividades, com palestras como “A tauromaquia, descrição e consequências físicas para os animais”, “Os animais em circos e os aquários de golfinhos” e a mesa redonda “Políticas da Prefeitura de Madri em relação aos animais”. Também haverá oficinas para a “Defesa dos direitos dos Animais” e um “Conta contos” com o tema “A Tortura Não é Cultura”.

Do dia 15 até o dia 17 de janeiro estão programadas um total de 34 atividades por parte de organizações animalistas, editoriais, ilustradores, ecologistas e peritos em espécies animais, com espetáculos e oficinas dirigidas, em sua maioria, para as crianças. No entanto, também há um lugar destacado para o veganismo, que será protagonista em duas palestras e um documentário, e para fechar com chave de ouro, a tradicional venda de pãezinhos na Paroquia de San Antón no dia 17 pela tarde. A paróquia também acolherá o discurso de encerramento de Elvira Lindo, sem que haja outros compromissos religiosos.

Na época em que Madri era governada pelo PP (Partido Popular), as atividades costumavam ser em sua maioria religiosa. Em 2012, por exemplo, houve o tradicional discurso de abertura, missas durante toda a jornada em que era possível benzer os animais de estimação e uma procissão pelo bairro de Chueca. Nesta ocasião, a Prefeitura preferiu estender a celebração por todo o fim de semana, aproveitando que o dia festivo de 17 de janeiro cai em um domingo.

Fonte: El Boletin

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.