Assistir a este golfinho frustrado se lançar de seu pequeno tanque na frente de uma plateia vai partir seu coração

Assistir a este golfinho frustrado se lançar de seu pequeno tanque na frente de uma plateia vai partir seu coração

Os golfinhos podem não ser capazes de falar nossa língua, mas suas ações falam mais alto que palavras. O golfinho neste vídeo tinha muito a dizer, e foi com clareza algo parecido com “Eu não pertenço a este lugar”. Assistir a este pobre escolher acabar com tudo ao invés de viver em um tanque ridiculamente pequeno não é apenas desolador, mas compreensível. Os golfinhos são uma das espécies mais inteligentes do planeta (e, em algumas facetas, mais inteligentes do que os humanos!). Por isso, ser forçado a realizar acrobacias e truques bobos para o entretenimento humano está além da degradação. Não é de admirar que tenha havido muitos registros de tentativas de suicídio de cetáceos em cativeiro!

Enquanto o público parece se preocupar com o golfinho fugitivo, é óbvio que ele não tem ideia do que essas pobres criaturas suportam, caso contrário, ele não estaria lá, para começo de conversa. Aquários e parques marinhos trabalham duro para fazer as pessoas acreditarem que esses animais estão felizes, mas nada poderia estar mais longe da verdade, como foi testemunhado no vídeo.

Os golfinhos em cativeiro (e outras formas de vida marinha) são com frequência arrancados de suas famílias, forçados a ficar em tanques com uma fração do tamanho de seu habitat selvagem, coagidos a executar truques e privados de qualquer tipo de vida natural ou feliz. Como resultado, eles sofrem uma tremenda quantidade de estresse, dor e maus-tratos. Além disso, eles também são mantidos com fome a fim de que respondam às instruções dos treinadores para se apresentarem à espera de comida.

Esta vida de servidão e de pouco espaço gerou muitos casos de vida marinha frustrada a brigar entre si, com indivíduos intimidados a sofrer de marcas de mordida e escoriações. Uma orca do SeaWorld chamada Morgan foi filmada várias vezes encalhada durante shows, em uma tentativa de escapar da agressão de seus companheiros de tanque.

Sinais de sofrimento também incluem uma condição psicológica chamada zoochosis. Sinais de zoochosis observados na vida marinha em cativeiro incluem nadar em círculos repetidas vezes, estabelecer uma estrutura de poder e deitar-se imóvel na superfície ou no chão do aquário por períodos de tempo relativamente longos. Sabe-se que os golfinhos se batem contra as paredes de concreto de seus tanques.

Graças a documentários como Blackfish e The Cove, as pessoas estão se tornando mais conscientes da situação da vida marinha em cativeiro, mas precisa-se fazer mais. Você pode ajudar ao prometer nunca ir ou apoiar parques marinhos, apoiar organizações que lutam para esvaziar os tanques e conscientizar sobre a situação da vida marinha em cativeiro.

Para saber mais, clique aqui e aqui.

This poor Dolphin had had enough!Have you had enough yet?JAPAN DOLPHINS DAY (London)31st August 2018Japanese Embassy LondonHIT THE LINKhttps://www.facebook.com/events/204956543687433/https://dolphinproject.com/japan-dolphins-day-2018/

Publicado por Peter Baldwin em Quinta-feira, 9 de agosto de 2018

Por Nadine Rich / Tradução de Ana Carolina Figueiredo

Fonte: One Green Planet

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.