Associação Britânica de Futebol na mira de protestos após matar gansos por defecarem no Parque St George

Associação Britânica de Futebol na mira de protestos após matar gansos por defecarem no Parque St. George

A associação diz que matou as aves para cuidar do risco para a saúde e segurança.

A Associação de Futebol da Inglaterra está na mira de protestos após ter matado gansos por defecarem no centro nacional de futebol.

O Parque St. George, em Rangemore, possui uma licença expedida pela Natural England para controlar a população de gansos-bravos no local.

Ela dá ao parque a permissão de matar até 50 aves, contanto que tenha tomado outras medidas para tirá-las do local primeiro.

Um porta-voz da Associação de Futebol (AF) disse que nenhuma ave foi morta neste ano e, somando os anos de 2018 e 2019, menos de dois terços do número permitido foi morto.

As aves deixam fezes no local e dizem que isso é um risco para a saúde e segurança, motivo pelo qual as aves vêm sendo mortas.

Gansos-bravos foram mortos no Parque St George, em Rangemore. (Imagem: Getty)

Mas a AF vem sendo alvo de protestos pelo grupo ativista de direitos dos animais Stop the Cull.

Jay Tiernan diz: “Há algo sinistro sobre criar um lago, o qual você exibe como parte de sua área verde, somente para matar as aves que vêm usá-lo porque você não gosta do cocô de aves em seu quintal”.

“O pedido da licença em parte dizia sobre os benefícios do desenvolvimento local para a vida selvagem, então matar os gansos é chocante”.

“É um ato terrível de hipocrisia”.

“Deixem a natureza ser natureza. A natureza deve poder florescer, e organizações como a Associação de Futebol deveriam liderar esse caminho com uma abordagem muito mais holística em relação aos animais selvagens”.

A declaração completa da AF

Seguindo diretrizes estipuladas pelo Departamento de Meio-Ambiente, Alimentos e Assuntos Rurais (DEFRA), e em acordo com o Ato de Vida Selvagem 1981, a AF pediu e recebeu uma licença da Natural England e agora está tomando medidas para controlar a população de gansos em seu local no Parque St. George.

A AF está comprometida em preservar a saúde e a segurança pública em suas instalações, e o crescente número de gansos no local estava se tornando um risco para o público e os jogadores.

A equipe do parque utiliza uma variedade de métodos recomendados pelo DEFRA para ajudar a reduzir e resolver os problemas de saúde pública e segurança causados pela população de gansos na propriedade.

Esses métodos são categorizados na redução da atratividade do habitat, a exclusão física e gerenciamento do habitat, e a inclusão de medidas preventivas, de acordo com as diretrizes do DEFRA:

  • Desencorajar a alimentação das aves pelos membros do público
  • Incentivar o descarte responsável de resíduos de alimentos com a sinalização e lixeiras adequadas para descarte de lixo em áreas públicas
  • Somando-se os anos de 2018 e 2019, menos de dois terços do número permitido de gansos Greylag foi morto no local.

Como uma última alternativa, depois desses passos recomendados terem sido tomados para prevenir problemas, o Parque St. George permitiu o controle da população de gansos na propriedade para preservar a saúde pública e a segurança no local. Essa permissão pode ser usada somente nas seguintes situações:

  1. Com o objetivo de preservar a saúde pública e/ou a segurança pública;
  2. Onde for estritamente necessário tomar ações para preservar a saúde pública e/ou a segurança pública;
  3. Onde passos razoáveis para prevenir problemas através dos métodos legais foram feitos e continuam a ser feitos.

Adicionalmente, o Parque St. George teve que demonstrar ao Natural England, com evidências, que os cinco critérios foram atendidos:

  • a ação é proporcional
  • danos ou problemas estão ocorrendo
  • o status de conservação das espécies não será afetado negativamente
  • a espécie está realmente causando dano ou problema
  • outras alternativas não letais razoáveis e práticas foram consideradas e utilizadas (assim como assustar e prender)

A partir do momento que as aplicações iniciais foram submetidas pelo local no Parque St. George, a AF tem trabalhado com especialistas independentes para garantir que minimize seu impacto no ambiente natural e promova a biodiversidade da área.

Isto inclui um dedicado Plano de Ação pela Biodiversidade que consiste em medidas diárias proativas para resguardar a vida selvagem e adicionar à diversidade do parque.

Um comitê composto de representantes do concelho local e consultores externos se encontra regularmente para garantir que o Plano de Ação pela Biodiversidade continue atualizado e integre as melhores e mais modernas técnicas para preservar a desenvolver a biodiversidade do local.

Para confirmar, nenhum ganso-bravo foi morto este ano e não há planos para que isso ocorra no Parque St. George, já que as medidas preventivas implantadas nos anos anteriores têm ajudado a reduzir o problema e o risco subsequente à saúde pública e segurança.

Somando os anos de 2018 e 2019, menos de dois terços do número permitido de gansos Greylag foi morto no local.

Esta ação não tem sido tomada somente para prevenir que as aves defequem nos campos, mas também nas áreas públicas onde elas se juntam em grande número e deixam uma grande quantidade de excremento.

Isto não só coloca em risco a saúde e segurança pública devido a escorregões e tropeções, mas também pode fazer com que parasitas danosos encontrados nas fezes dos gansos sejam transferidos pelo chão, inclusive dentro das instalações de acesso público, e espalha o risco de contrair diarreia e criptosporidiose.

Por Jenny Moody / Tradução de Alice Wehrle Gomide

Fonte: Derby Telegraph

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.