Associação de proteção aos animais de Casa Branca (SP) pede doações para construção de canil

Associação de proteção aos animais de Casa Branca (SP) pede doações para construção de canil
Associação de proteção aos animais de Casa Branca (SP) pede doações para construção de canil — Foto: Arquivo Pessoal

A Associação de Proteção Independente aos Animais (APIA), de Casa Branca (SP), realiza uma campanha para arrecadar doações para a construção de um novo canil.

Atualmente, a organização conta com um canil e dois gatis, contudo, o espaço limitado tem dificultado os resgates de novos animais, que ocorrem conforme as adoções.

“Além da necessidade de controlar os gastos, pois sendo hoje um grupo independente, vivemos apenas de doações e dinheiro dos próprios voluntários”, disse a presidente do projeto, Cristina Rodrigues. 

A APIA já ajudou mais de 80 animais, entre cães e gatos, com ou sem dono. Em relação aos que não tinham tutor, 20 conseguiram ser adotados e outros três estão aptos para adoção. 

Campanha

Devido ao espaço limitado, associação de Casa Branca (SP) só consegue resgatar mais animais com a construção de novo canil. — Foto: Arquivo Pessoal

A meta é arrecadar R$ 10 mil. As doações podem ser feitas em dinheiro ou em materiais de construção, como cimento, ferro, areia, cal, tijolo, telha e ferro. 

Como contribuir 

  • Entrega dos materiais diretamente ao projeto, sediado na Rua Duque de Caxias, 266, no Centro;
  • Solicitação para a busca dos materiais doados por meio do telefone (19) 99435-0042;
  • Vale-presente com os itens ou o valor doado para retirada na loja indicada pelo doador;
  • Depósito na conta jurídica do projeto, solicitada pelo telefone (19) 99435-0042.
     
    Além da mobilização para a construção do canil, a associação realiza mais três campanhas contínuas, que podem ser encontradas na página do Facebook do projeto, na sede ou pelo número de telefone.
  • Material reciclável: arrecadação de lacres, latinhas e tampinhas de plástico para converter em verbas.
  • Rifas: sorteio de prêmios para manter o orçamento e a manutenção dos tratamentos e atendimentos veterinários.
  • BazarCão: arrecadação de roupas, calçados, bolsas, brinquedos e outros itens em perfeitas condições.

História

APIA trabalha para conscientizar população de Casa Branca (SP) sobre a lei do cão comunitário — Foto: Arquivo Pessoal

O projeto foi criado no começo de 2020 pela comerciante Cristina Rodrigues e, diferente de um abrigo, tem como objetivo proteger os animais em todas as etapas, desde o resgate, até a castração, vacinação e adoção.

“O município sempre viu a proteção animal como sendo única responsabilidade de uma ONG que existe desde 1999. Então, o intuito da APIA foi mudar essa ideia dos moradores, usando as redes sociais para mostrar a realidade dos animais em situação de rua e formas de contribuição na melhoria de vida deles”, comentou Cristina.

Além disso, também colabora para a conscientização sobre a responsabilidade dos donos e as leis que regem os direitos dos animais, como a Lei 12.916, aprovada em 2008 para instituir o “cão comunitário”. 

“O cão comunitário é protegido por lei estadual. É um cão que vive na comunidade, mas tem que ser castrado, vacinado e vermifugado. As pessoas fazem vaquinha para manutenção, ração, casinha e veterinário”, explicou Cristina. 

Ao todo, a APIA já ajudou mais de 80 animais, entre cães e gatos com ou sem dono, em Casa Branca (SP) — Foto: Arquivo Pessoal

Equipe
 
A APIA conta com 10 pessoas, todos voluntários, incluindo a médica veterinária Raíssa Fachini Cruz, parceira do projeto, que auxilia nos resgates e procedimentos a um custo mais barato.

“Nós resgatamos, realizamos exames, vermífugamos e castramos antes de serem encaminhados para adoção. A castração é importante em vários aspectos, tanto para a saúde do animal, como para o controle de zoonoses”, disse.

Segundo ela, além de evitar a reprodução, a castração reduz o risco de desenvolvimento de neoplasias ovarianas, mamárias, infecções uterinas, tumores de testículo, hiperplasia de próstata e também doenças sexualmente transmissíveis.

No momento, associação de Casa Branca (SP) está com três cachorros para adoção. — Foto: Arquivo Pessoal

Por Rebecca Crepaldi, sob supervisão de Fabio Rodrigues, do G1 São Carlos e Araraquara.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.