Associação de Proteção aos Animais pode encerrar atividades em Araguari, MG

Associação de Proteção aos Animais pode encerrar atividades em Araguari, MG

Fevereiro de 2013. Lei 5120 declara a Aproama (Associação de Proteção aos Animais e Meio Ambiente) de Araguari como Utilidade Pública. A partir da medida, proposta pelo vereador Giulliano Souza Rodrigues – Tibá (PTC), a instituição ganhava o direito de receber subvenção da prefeitura, impulsionando suas ações pelas ruas locais. O que um dia foi esperança, se tornou frustração.

MG araguari Aproama

Com a determinação, a Aproama somente poderia receber os aguardados recursos em 2014. Apesar disso, a espera continua. Pior ainda, sem qualquer respaldo dos órgãos públicos, a instituição cogita encerrar as atividades. Seria o desfecho de uma trajetória de oito anos em prol dos animais e do meio ambiente em Araguari.

Para quem se entrega diariamente nessa missão, o sentimento não poderia ser outro, senão indignação. Em entrevista ao Jornal Gazeta do Triângulo, Roberto Paganini, presidente da Associação, manifestou a frustração diante da realidade atual.

“Foi com o coração partido que os diretores da Aproama se reuniram e por unanimidade, acenaram para o encerramento das atividades. Sem recursos financeiros, o projeto de castração e apoio dos órgãos públicos, não há como continuar. Foram inúmeras tentativas frustradas de diálogos e minha sensação é de indignação, pois percebo que tudo isso é por falta de vontade”, explanou.

Com base na afirmação do presidente, em maio deste ano um projeto apresentado na Câmara Municipal pelo vereador Levi Siqueira (PMDB), colocava em discussão junto à Aproama a criação de um programa para castração de animais, tornando o aumento gradativo nas ruas uma preocupação de saúde pública, além de mais casos de maus tratos. Apesar disso, a iniciativa acabou sem retorno por parte do Executivo.

De acordo com a Aproama, Araguari detém aproximadamente cinco mil animais entre cães e gatos. Metade deste número vive nas ruas, ampliando a cada mês. Os incentivos à associação faziam parte de uma lista de promessas proferidas pelo prefeito Raul Belém (PP), entre elas a reforma do canil municipal que, no entanto, é de responsabilidade do Executivo.

A possibilidade do encerramento das atividades da Aproama ganhou comoção nas redes sociais. Na página da associação, internautas lembraram a situação do canil.

“O bom funcionamento do canil é obrigação do município. Veterinária, medicação e ração são o básico. A Aproama desenvolve seu trabalho paralelo ao canil, tanto que o maior pedido é em relação a conseguir um lar temporário para animais resgatados, uma vez que o local está sempre lotado (…). O carro preparado para o resgate estragou há muito e foi substituído por uma caixa de ferro puxada por um carro, sem estrutura nenhuma para carregar um animal ferido ou doente. A Aproama pede socorro!”

Segundo a associação, os diretores chegam a tirar dinheiro dos próprios bolsos para custear o tratamento dos animais. Em alguns casos, o valor supera a bagatela de R$ 1.500,00. Até então, eles aguardam um encontro com o chefe do Executivo, caso contrário não restará outra saída a não ser testemunhar o fim de uma era no município.

Fonte: Gazeta do TriânguloGazeta do Triângulo

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.