Assustado com fogos de Natal, cão se joga de sacada e morre enforcado

Assustado com fogos de Natal, cão se joga de sacada e morre enforcado

Caso aconteceu no bairro Universidade, na Zona Sul de Macapá. Tutora do animal diz que a cadela tentou se esconder do barulho dos fogos.

Por Cassio Albuquerque

AP macapa cadela mel

Uma cadela vira-lata chamada “Mel”, de 11 meses, morreu na madrugada do dia 25 de dezembro após se assustar com o barulho provocado pela explosão de fogos de artifício na celebração da noite de Natal. O episódio aconteceu no bairro Universidade, na Zona Sul de Macapá. Segundo a dona, Bruna Góes, o animal estava amarrado em uma coleira na sacada da casa, que tem dois andares, e durante a queima de fogos se jogou e morreu enforcado.

Em um grupo de adoção de animais na rede social Facebook, a amapaense relatou o ocorrido e postou um vídeo com fotos da cadela. A publicação comoveu centenas de internautas, e havia tido quase 400 curtidas até esta segunda-feira (29).

AP macapa cadela mel - fogos de artificio

Na publicação, Bruna se refere ao animal como “filha” e atribui a tragédia aos fogos de artifício. “Uma dor que não estou conseguindo suporta… eu me culpo todos os dias por isso é ainda tem pessoas para me dizer que é só adota outro perecido, ela não era substituível [sic]”, publicou.

Emocionada, Bruna contou ao G1 que amarrou Mel e os outros dois cães porque sabia que eles se assustariam com os fogos que normalmente os vizinhos soltam na noite de Natal. Para ela, a morte da cadela foi uma tragédia que marcará a data.

AP macapa mel 2“Foi tudo muito rápido. Quando começaram a soltar os fogos ouvi a Mel latindo e depois de 10 minutos pedi para a minha sobrinha ir até a sacada soltá-los, foi quando ela percebeu a falta dela. Foi um desespero. Pensei em mil coisas e depois de um tempo a encontramos enforcada. Foi uma tragédia que acabou com o meu Natal e o da minha família”, disse Bruna.

A cadela havia sido adotada em janeiro de 2014 e estava prestes a completar um ano. Para a dona do animal, a morte de Mel foi causada pela queima de fogos de artifício, segundo ela, feita de forma irresponsável pela população durante as festas de fim de ano.

“Eu não tinha o costume de amarrá-la. Ela vivia com a gente solta dentro de casa, como um membro da família. Era querida por todos aqui”, lamentou.

Nas vésperas do Revéillon, Bruna pede à população que tenha consciência na hora da queima de fogos.

“Às vezes as pessoas não imaginam que os fogos podem deixar nossos bichinhos aterrorizados. Poderiam dar mais atenção a essa situação na cidade para não acontecer uma outra fatalidade como ocorreu com a Mel”, pediu.

ONG fará ação para proteger cães e gatos em abrigo durante queima de fogos no Réveillon em Macapá (Foto: Anjos Protetores/Divulgação)

AP macapa 10865832 394903017342667 3152372037053106135 oProteção

Em um canil localizado no bairro Araxá, na Zona Sul de Macapá, voluntários da ONG Anjos Protetores estão realizando um esquema para proteger os 62 gatos e os 26 cachorros que vivem no local, na hora da virada.

Segundo o integrante da entidade que resgata e cuida de animais de rua, o jornalista João Clésio, a ação será para evitar que os animais se assustem durante a queima de fogos.

“Vamos nos revezar das 23h até a 1h da manhã do dia 1º de janeiro para acalmar os animais, pois sabemos que é difícil esse período para eles”, disse Clésio.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.