Ataques de cães em Rio das Ostras, RJ, deixam moradores em alerta

Ataques de cães em Rio das Ostras, RJ, deixam moradores em alerta

Protetores de animais foram acionados e resgataram alguns cães. Ataques deixaram uma pessoa com ferimentos graves.

Por Júnior Costa

RJ rio das ostras olhar animal

Protetores dos animais se reuniram para resgatar cerca de 12 cães que promoveram ataques a moradores e turistas que frequentaram a praia de Enseada das Gaivotas, em Rio das Ostras, na Região dos Lagos do Rio, nas duas últimas semanas. O animais, segundo protetores e vizinhos, são de uma casa que está trancada, sem água e comida. O proprietário, de acordo com os relatos, estaria foragido do local.

Uma das vítimas do ataque é João Batista Lopes Ferreira, de 46 anos. Ele foi atacado no último sábado (6), quando visitava a praia. João sofreu escoriações pelo corpo e uma lesão grave no braço direito, sendo socorrido e encaminhado para o Pronto Socorro de Rio das Ostras, onde recebeu os primeiros socorros. Agora ele está internado em um hospital particular de Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio

Fernando Coelho, de 53 anos, contou que também foi atacado na última semana por 12 cães. Ele relatou que foi surpreendido quando fazia uma corrida matinal, como de costume. O morador disse que foi salvo por um vizinho que passava pelo local no momento em que os cães estavam sobre ele.

“Se não fosse por um vizinho que pegou um pedaço de pau estaria morto. Estava correndo, como faço todas as manhãs, quando fui perseguido. Tentei correr para o mar, mas cai com metade do corpo para fora da água. Eles morderam minhas pernas, costas, coxas e nádegas”, relembrou.

RJ rio das ostras olhar animal 1Fernando comentou que está se recuperando das lesões pelo corpo, mas que não guarda raiva dos cães, que segundo ele, são vítimas.

“Não tenho mágoa ou raiva dos cães. Eles são de uma casa e estão abandonados. Espero que os resgatem de lá, que sejam tratados, medicados, alimentados e que encontrem um lar onde recebam carinho”, pontuou.

Uma equipe de protetoras animais estiveram na casa onde os animais foram abandonados. Seis cães, que segundo as protetoras, lideravam a matilha e se apresentavam mais agitados, foram recolhidos e encaminhados para o Programa de Saúde e Bem-Estar Animal (PSA). Lá eles serão medicados, castrados e serão ressocializados para então serem colocados para adoção.

“Os chefes da matilha foram recolhidos pelo PSA. Ontem quando chegamos no local encontramos animais medrosos. Com fome, sede e precisando de ajuda. Nosso maior medo é as pessoas fazerem justiça com as próprias mãos, pois há nas redes sociais uma incitação ao ódio por esses animais. O PSA ficou de mandar um veterinário hoje para uma avaliação. Vamos precisar de adoções para esses animais ou de lares temporários”, explicou Adriana Magalhães, uma das protetoras.

A Prefeitura de Rio das Ostras informou que desde o final de semana a equipe do PSA está indo ao local duas vezes por dia para monitorar os animais e levar alimento.

Fonte: G1 

Nota do Olhar Animal: Cães defendem seu território e sua matilha. Cães vêem os humanos próximos como membros dessa matilha. Quando defendem estes humanos, viram heróis. Mas quando defendem os da sua própria espécie, especialmente contra humanos, são tratados como vilões. E a extrema ignorância humana faz com que sejam confinados, mortos, etc. Este caso merece destaque pela atitude diferenciada dos envolvidos. Lamentamos os ataques e desejamos que os feridos se recuperem o mais brevemente. E parabenizamos os protetores que estão atuando no resgate destes animais e, especialmente, a vítima Fernando, que demonstrou lucidez, sensibilidade e generosidade ao compreender quer os cães não podem ser culpados pelo ataque. Parabéns também à prefeitura que, pela notícia, está colaborando com a ação dos protetores. Que os animais sejam ressocializados e encaminhados para adoção. E que o ex-tutor seja responsabilizado cível e criminalmente pelo abandono e pelos danos causados pelos animais.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.