Ativista faz alerta sobre os atropelamentos de animais

Ativista faz alerta sobre os atropelamentos de animais
Valente foi resgatado por Sheila Ferreira - GILBERTO FEIJÃO / DIVULGAÇÃO

Atuante na causa animal, a jornalista Sheila Ferreira viveu uma situação tensa no último domingo, ao assistir, sem nada poder fazer, o atropelamento de um casal de patos e de seus 11 filhotes, na rodovia Deputado Archimedes Lammoglia (SP-75), quando ia de Itu com destino a Araçoiaba da Serra. O motivo da página Mon Petit relatar esse caso é que pelo menos um patinho, que ganhou nome de Valente, foi salvo e está resistindo. Presidente da entidade Bichos S/A, de Itu, Sheila aceitou falar do ocorrido a fim de despertar nas pessoas a sensibilidade e solidariedade pelos animais.

Ela contou que viajava com o marido quando observou algo preto se mexendo, e pensou se tratar de pedaço de pneu, que normalmente se solta de caminhões, e após pedir para o marido reduzir a velocidade, a alguns metros a frente, observou que era a asa do pato adulto, já atropelado, vendo na sequência a pata desesperada, com os filhotes de um lado para o outro. O casal estacionou com segurança no acostamento, e a jornalista corria acenando para os motoristas reduzirem a velocidade, mas não conseguiu evitar que fossem atropelados, com exceção do Valente: “o ar de um carro o jogou para o acostamento, e o vi tentando subir na grama”, disse.

Sheila imediatamente o acolheu, colocando-o por dentro da blusa a fim de aquecê-lo e também acalmá-lo. Ela relembra que o patinho piava desesperadamente, mas que com o tempo se acalmou.

Sem saber muito o que fazer, ligou para o veterinário que trata de seus sete cães, pedindo orientação sobre alimentação, sendo também orientada a ligar na Polícia Ambiental.

Como não conseguia falar na Ambiental, acabou conseguindo contato com o Parque Zoológico Municipal Quinzinho de Barros, onde a veterinária Mariana Horta acolheu Valente. O patinho, disse ela, vem resistindo, apesar das dificuldades no desenvolvimento longe da mãe.

Apesar de não saber se seu nome será Valente ou Valentina, pois o sexo dos patos só é descoberto por exame de sangue ou quando bota ovo, a jornalista Sheila Ferreira acredita que em breve todos descobrirão pois tal valentia é sinal de que sobreviverá, destaca.

Contente com o final feliz dessa história, Sheila aproveita para pedir que quem não puder socorrer um animal, seja por abandono, doença ou outros motivos, que pelo menos os amparem ligando para alguém e compartilhando o pedido de ajuda.

Por Adriane Mendes

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.