Ativistas convocam vigília para evitar o despejo da Associação Mata Ciliar

Ativistas convocam vigília para evitar o despejo da Associação Mata Ciliar
Recinto onde são tratados os animais silvestres resgatados fica muito próximo à obra realizada pela concessionária (Foto: Arquivo/Mata Ciliar)

A notícia de que a Associação Mata Ciliar terá de deixar a área de quase três hectares, utilizada há anos para a reabilitação de animais silvestres, gerou revolta e comoção de moradores, simpatizantes da causa e ativistas ambientais de Jundiaí. Uma vigília foi convocada pelas mídias sociais para que as pessoas permaneçam na região próximo onde obras estão em execução pela empresa VOA-SP, concessionária que administra o aeroporto sob responsabilidade do Governo do Estado.

A informação de que a VOA-SP notificou extrajudicialmente a ONG, ontem (17), foi trazida com exclusividade pelo Tribuna de Jundiaí. Segundo o documento, os animais e equipamentos devem ser removidos da área até amanhã (19). A justificativa é que o aeroporto passará a operar por instrumentos e irá incrementar as rotas comerciais. “A manutenção dos animais ao lado da pista de pouso e decolagem cria riscos, tanto no que tange a gerenciamento de voos quanto ao ruído aeronáutico e seu impacto na fauna em reabilitação”, ressaltou a empresa, na notificação.

Vigília

Assim que a notícia foi divulgada, movimentos passaram a ser organizados para evitar que a Mata Ciliar deixe o local. “Deram 48h para a ONG Mata Ciliar sair e retirar todos os animais e equipamentos da área próxima ao aeroporto de Jundiaí. Eles fazem um trabalho primordial de preservação e cuidado dos animais da nossa região. Por favor compartilhem nas redes e quem puder ajudar na resistência pessoalmente”, diz a mensagem publicada no Instagram.

GRUPO DE PESSOAS ESTÁ NAS PROXIMIDADES DO AEROPORTO: ONG PODE DEIXAR O LOCAL (IMAGENS: REDE SOCIAL)

A publicação também dá orientações sobre a vigília nas proximidades da entidade. “Os ativistas estão se revezando para ocupar o espaço dia e noite. Quem puder se organizar para vir, logo cedo já teremos pessoas por lá.

Imagens que circulam pela internet, hoje (18) pela manhã, mostram até uma barraca de camping instalada exatamente no ponto em que uma obra é realizada pela VOA-SP, próximo aos recintos utilizados para reabilitação de animais como onças-pardas, jaguatiricas e lobos-guarás.

Irregular

De acordo com a VOA-SP, foi sugerido à Mata Ciliar uma permuta de área, além do custeio de “todas as obras necessárias de mudança e construção de novos viveiros”.

“Desde 2019, ambas as partes iniciaram diálogo para a devolução da área e remanejamento total da ONG para outro local do município. Mesmo assim, a ONG acelerou obras na área da concessionária, construindo viveiros de animais silvestres a 10 metros da avenida Emilio Antonon e a 300 metros da pista de pouso, colocando em risco a segurança aeroportuária, em desacordo com a legislação. A empresa tem constatado diariamente a presença de urubus por conta dos animais silvestres ali presentes”, destaca, em outro trecho da nota.

Ainda conforme a VOA-SP, o aeroporto existe há 80 anos naquele espaço e já se configura como um “indutor de desenvolvimento regional”.

A concessionária reforça ainda que tem licença de funcionamento expedida pela Cetesb e apoia ações sustentáveis, “com programas de carbono free para combustíveis, a VOA-SP se coloca à disposição para o diálogo, apoiando ações de suporte à fauna ali existentes assim como todo o meio ambiente”.

Trabalho da Mata Ciliar é exemplo em todo o Brasil na reabilitação de animais silvestres (Foto: Divulgação/Mata Ciliar)
Trabalho da Mata Ciliar é exemplo em todo o Brasil na reabilitação de animais silvestres (Foto: Divulgação/Mata Ciliar)

Mata Ciliar

Nos últimos dias, a Mata Ciliar tem apontado as obras que estão sendo realizadas pela VOA-SP naquela região. Vídeos e fotos foram publicadas no Facebook, cobrando apoio de autoridades e da população para o problema gerado aos animais silvestres tratados pela ONG.

Especialistas disseram que o barulho das máquinas estaria afetando os animais, causando estresse em lobos-guarás, jaguatiricas e onças-pardas. O corte do mato também expõe os recintos usados para reabilitação dos bichos.

“Pedimos à sociedade que continue intercedendo junto ao Governo do Estado de São Paulo a intervir pelos animais nesta situação”, escreveu a ONG.

Por Emerson Leite

Fonte: Tribuna de Jundiaí

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.