Ativistas do Porto Animal Save manifestaram-se junto a matadouro em Penafiel, Portugal

Ativistas do Porto Animal Save manifestaram-se junto a matadouro em Penafiel, Portugal

No passado domingo, dia 17 de novembro, um grupo de ativistas pertencentes ao movimento Porto Animal Save manifestou-se nas imediações de um matadouro localizado em Penafiel.

Segundo Marisa Sousa, porta-voz do grupo criado, a ação teve como objetivo “testemunhar a chegada dos animais às instalações, na tentativa de lhes transmitir carinho e compaixão no último dia das suas vidas”.

“Ao registar estes momentos, tornamos todas estas vítimas visíveis ao mundo enquanto indivíduos com identidade e personalidade própria, provando que são muito mais do que o número que lhes foi atribuído”, acrescentou.

A vigília realizada no passado domingo, porém, foi “especial”, como nos explica Marisa Sousa: “Juntámos cerca de uma dezena de testemunhos de voluntários e seguidores, entregues, no final do evento diretamente ao matadouro”, matadouro esse cujos responsáveis, segundo a porta-voz, “se recusam a ouvir e reunir desde há quase dois anos”.

Outra das motivações da iniciativa passou por “desmistificar, igualmente, a ideia que muitas vezes se cria à volta do ativismo e dos ativistas”. “Não somos nunca agressivos, quer em gestos, palavras ou intenções, e regemo-nos sempre pelos valores da compaixão e respeito por todos”, sublinhou.

Esta ação surge no âmbito de várias outras vigílias realizadas junto a matadouros do distrito do Porto, que o Porto Animal Save tem vindo a levar a cabo desde a sua criação, em 2017.

Este movimento pertence a uma rede de grupos de ativismo que conta com mais de 600 grupos espalhados por todo o mundo, sob a alçada do movimento internacional Animal Save Movement.

Por José Rocha 

Fonte: A Verdade / mantida a grafia lusitana original

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.