Ativistas juntam-se quinzenalmente para acarinhar animais que vão para abate em Braga, Portugal

Ativistas juntam-se quinzenalmente para acarinhar animais que vão para abate em Braga, Portugal

De 15 em 15 dias, ao domingo de manhã, um grupo de ativistas reúne-se junto a um matadouro que recebe vacas e porcos, com cartazes ao alto para acompanhar a chegada dos animais.

O Braga Animal Save, pertencente ao movimento internacional The Save Movement que conta com mais de 660 grupos em todo o mundo, realiza quinzenalmente vigílias pacificas em matadouros.

“Vamos testemunhar a última viagem de vacas e porcos, a caminho do matadouro. Queremos transmitir a estes animais todo o amor e compaixão que eles merecem, no último dia das suas vidas. Com recurso a cartazes, é pedido aos condutores dos camiões de transporte de animais que parem, de forma voluntária, por uns breves minutos e permitam que os voluntários se aproximem dos camiões para poderem ver os animais”, referiu o Braga Animal Save em comunicado, acrescentando que os animais “são seres que sentem medo, dor, fome e estão assustados”.

O Braga Animal Save tem vindo a organizar e participar, desde a sua criação em dezembro de 2017, em vigílias em matadouros, eventos como o Braga Vegan Market, o Festival Vegan, o Dia Mundial contra o Especismo e o Dia Mundial do Veganismo e ações de sensibilização pelo bem estar e direitos dos animais.

O objetivo desta associação é a libertação animal e o fim do especismo. As vigílias realizam-se quinzenalmente, aos domingos de manhã, em matadouros do distrito de Braga e são abertas a todas as pessoas que respeitem os valores do movimento: respeito, tolerância e compaixão por todos e todas as opiniões e contribuam para um ambiente acolhedor, pacífico e seguro para todos aqueles que participam.

Para participar basta aceder ao grupo de voluntários na página de Facebook do Braga Animal Save, onde são dadas todas as indicações para as vigílias.

Fonte: Semanário V / mantida a grafia lusitana original