Ativistas pedem avaliação psiquiátrica de garotos que queimaram os cachorros vivos

Ativistas pedem avaliação psiquiátrica de garotos que queimaram os cachorros vivos

Tradução de Alice Wehrle Gomide

Ativistas dos direitos dos animais pediram no último dia 21 uma avaliação psiquiátrica dos oito jovens que queimaram vivos três cachorrinhos e filmaram o ato horrível.

Os garotos foram detidos e encaminhados ao Conselho de Justiça Juvenil após o vídeo ter viralizado no último dia 20.

N. G. Jayasimha, diretor executivo da Humane Society International India – HSI/India (Sociedade Humanitária Internacional da Índia), disse que uma avaliação psiquiátrica deveria ser feita já que a violência contra os animais poderia ser um indicador de outros abusos e sérios comportamentos antissociais potenciais quando adultos, incluindo ofensas criminais e violência contra mulheres e crianças.

“Como um ativista do bem-estar animal e pai, meu coração se parte ao ver o sofrimento que os animais enfrentaram e o possível histórico violento que os jovens devem ter tido que lidar para recorrerem a esse tipo de ação”, ele disse.

Os garotos, todos menores de 18 anos, cometeram a crueldade em um cemitério em Musheerabad, na região de Hyderabad.

A polícia agiu após a denúncia feita por Shreya Paropkari, gerente de ações contra crueldade da HSI/India, e Vasanthi Vadi, da People for Animals Hyberabad.

O vídeo mostra os garotos carregando três cachorrinhos, de aproximadamente dois meses de idade, pelas pernas traseiras e os queimando ainda vivos embaixo de uma pilha de ramos secos, galhos e sacos de juta.

Os cachorrinhos estavam tentando fugir no vídeo enquanto os acusados os empurravam de volta e os seguravam no fogo usando varas.

Jayasimha espera que o Conselho de Justiça Juvenil tome uma ação rápida e severa por esta inexplicável violência contra os cachorrinhos indefesos.

A HIS/India apontou que o caso dos cachorrinhos sendo queimados vivos em Hyberabad segue de perto o recente caso infame de um cão sendo atirado de um terraço por estudantes de medicina em Chennai, e uma série de casos de crueldade animal ao redor do país.

“Entretanto, na maioria dos casos, os acusados somente pagam uma mísera multa de Rs 50 (menos de um dólar), a penalidade máxima prescrita sob o Ato de Prevenção de Crueldade contra Animais, de 1960”, disse.

A HIS/India e a People for Animals começaram uma campanha, #NoMore50 (#ChegaDe50), para aumentar as penalidades por crueldade contra animais e conseguir impedir o abuso animal.

“É uma tragédia para este país que a crueldade animal não é levada tão a sério como deveria. A penalidade por matar um animal, e neste caso, vários animais nesta maneira horrível, é menos do que pagar uma corrida de riquixá até o tribunal para ver o julgamento”.
“Já é hora de estudarmos e entendermos a importância do comportamento violento contra animais em crianças, e o efeito dominó que isso pode ter em outras formas de violência”, acrescentou.

Fonte: IANS Live

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.