Ativistas resgatam 400 gatos de rua do parque de Acapulco, no México

Ativistas resgatam 400 gatos de rua do parque de Acapulco, no México
Um gato aproveita uma soneca em um banco no Papagayo Park (sem crédito)

Mais de 100 gatos foram adotados depois que moradores locais ouviram falar sobre suas histórias na rede social

Ativistas de direitos dos animais em Acapulco resgataram e esterilizaram cerca de 400 gatos de rua do Papagayo Park e os colocaram para adoção.

A presidente do Animal Rights Activists Union de Acapulco, Almarina Navarrete Ávila, disse que, com a reforma do Papagayo Park e o uso de máquinas pesadas no terreno, a organização interveio para cuidar dos gatos de rua, uma vez que o governo não o faria.

Ela contou que o conselho municipal lhe disse que “os gatos não são costeños” (cidadãos da costa) e que “eles estão em uma instituição estadual” e, portanto, tinham que ser removidos. O Ministério do Meio Ambiente, de sua parte, disse a ela que não era responsável pela “fauna urbana” no parque.

Os gatos foram removidos da propriedade estadual e levados para uma casa alugada pelos os ativistas com o propósito de resgatá-los.

A localização da apropriadamente chamada Casa dos Gatos Resgatados do Parque Papagaio não foi informada para evitar-se o abandono descontrolado de gatos indesejados.

Até agora, mais de 100 gatos foram adotados depois que as pessoas de Acapulco e as comunidades vizinhas ouviram falar sobre suas histórias nas redes sociais.

Navarrete disse em um comunicado à imprensa que a organização pediu “aos residentes para estarem alertas para os que cometem crimes contra os animais quando os abandonam em lugares públicos ou os maltratam em casa”.

Ela pediu que os governos da região implementem programas para tomar conta dos animais urbanos, assim como centros de bem-estar animal e programas massivos e constantes de esterilização. Ela disse que é impossível separar animais dos problemas humanos, e pediu sensibilidade para tantos problemas na implementação da política pública.

O diretor da The Cat Feral Mexico, que ajudou a resgatar os animais, disse que esta organização trabalha para tratar da superpopulação de gatos e cachorros por meio da castração em todo o país.

“Trabalhamos em bairros, teatros, lotes vazios, parques, casas abandonadas, construções do governo etc., porque a taxa de natalidade é muito alta e não será solucionada matando-os”, disse Diego Franco.

Tradução de Fátima C G Maciel

Fonte: México News Daily


Nota do Olhar Animal: A técnica de controle populacional que têm se mostrado mais adequada para casos similares a este é a do C. E. D. (captura, esterilização e devolução), até por conta do “efeito vácuo”. Mas o imediatismo, o despreparo técnico e a pouca empatia com os felinos acaba precipitando decisões equivocadas.