Austrália quer abater pombo que atravessou o Oceano Pacífico desde os EUA

Austrália quer abater pombo que atravessou o Oceano Pacífico desde os EUA
Foto: Reprodução/ Channel 9

Um pombo de corrida sobreviveu a uma viagem extraordinária de 13 mil quilómetros ao atravessar o Oceano Pacífico desde os Estados Unidos para tentar encontrar uma nova casa na Austrália. Agora, as autoridades do país estão a considerar a ave um risco no que diz respeito à transmissão de doenças e ponderam abatê-la.

Kevin Celli-Bird revelou na passada quinta-feira ter descoberto que o pombo exausto que lhe tinha aparecido no quintal a 26 de dezembro tinha desaparecido de uma corrida no estado norte-americano do Oregon a 29 de outubro. Os especialistas suspeitam que a ave – batizada como Joe em honra do presidente eleito dos EUA Joe Biden – terá apanhado boleia de algum navio de carga para atravessar o Pacífico.

A façanha protagonizada por Joe atraiu a atenção da imprensa australiana, mas também do Serviço de Inspeção e Quarentena Australiano e Kevin acabou por receber um telefonema a pedir que o tentasse apanhar. Depois de explicar que não conseguia, deverá agora ser contratado um profissional para o efeito.

O Departamento de Agricultura, responsável pela biossegurança, também se pronunciou sobre a situação, explicando que o pombo “não foi autorizado a permanecer na Austrália” porque “pode comprometer a segurança alimentar do país e as populações de aves selvagens”. “Representa um risco direto de biossegurança para a vida das aves australianas e para nossa indústria avícola”, referiram os responsáveis numa nota citada pela Associated Press.

“Tenho uma fonte no quintal e quando me apercebi estava a beber e a lavar-se. Estava bastante fraco por isso esmaguei um biscoito e deixei-o lá para que comesse”, contou Kevin. “No dia seguinte voltou à fonte, por isso fui ver como estava porque via-se que estava francamente fraco e não parecia ter medo de mim. Foi quando vi a tira azul que tinha na pata. Obviamente pertence a alguém, por isso consegui apanhá-lo”, acrescentou, referindo não ter grande interesse em aves.

E confirmou-se que Joe estava registado em nome de um homem de Montegomery, no estado norte-americano do Alabama. Kevin disse que até agora não conseguiu contactar o dono. A ave passa os dias no quintal, por vezes acompanhado de um pomba, e tem sido alimentado com comida própria. “Acho que decidiu que, como lhe dei comida e tem um sítio para beber água, está em casa”, rematou.

A maior distância de voo registada depois de ter sido percorrida por um pombo começou em Arras, em França e acabou no Saigão, no Vietname, em 1931 – demorou 24 dias e perfez um total de 11.600 quilómetros.

Fonte: Notícias ao Minuto / mantida a grafia lusitana original


Nota do Olhar Animal: É uma vergonha como comumente se portam autoridades sanitárias, especistas e tecnicamente despreparadas. Só lhes ocorre matar. Encaminhamentos diferentes deste estão além de sua moral rasa e de sua competência técnica.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.