Baleia é encontrada morta em Florianópolis (SC) com material de pesca preso ao corpo

Baleia é encontrada morta em Florianópolis (SC) com material de pesca preso ao corpo
Baleia-jubarte com material de pesca preso ao corpo foi avistada morta em Florianópolis — Foto: Emanuel Ferreira/R3 Animal

Uma baleia-jubarte foi avistada morta no mar em Florianópolis nesta quarta-feira (26). Segundo a equipe de monitoramento de praias, ela estava com materiais de rede de pesca presos ao corpo.

O animal foi avistado boiando na água próximo à praia da Galheta, no Leste da Ilha. A expectativa é que a baleia encalhe nos próximos dias e, assim, o corpo poderá ser recolhido pela equipe R3 Animal, que integra o Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS).

Na última semana, duas baleias-jubarte foram avistadas também com redes presas ao corpo, mas, segundo as equipes que monitoram a situação, ainda não é possível saber se o mamífero que morreu seria um dos animais avistados.

Segundo Karina Groch, bióloga e coordenadora do Instituto Australis, apenas após o encalhe será possível ter certeza, mas a suspeita é que seja uma terceira baleia. 

“Importante ressaltar que todo o grupo de desemalhe está fazendo um trabalho sério e o melhor que pode para ajudar essas baleias”, afirma. 

Até as 20h desta quarta, ainda não se sabia há quanto tempo ela pode ter morrido, nem era possível determinar a causa da morte. Além da R3 animal, a equipe do Protocolo de Encalhes e Emalhes da Área de Proteção Ambiental da Baleia-Franca/ICMBio (APABF) acompanha a situação.

Monitoramento

Baleias tinham sido avistadas com materiais presos ao corpo em Florianópolis nos últimos dias — Foto: Emanuel Ferreira/R3 Animal

Na quinta-feira (20), uma baleia-jubarte foi vista e no sábado (22), outra. Pesquisadores monitoraram a situação para acompanhar se seria necessário interferência humana para desprender o material de pesca, mas as baleias não foram mais avistadas.

No domingo (23), os pesquisadores continuaram monitorando a situação e viram 13 baleias-jubarte em cinco grupos no mar em Florianópolis. Nenhuma delas possuía redes presas ao corpo.

“O procedimento para retirada de rede é arriscado tanto para a baleia como para as pessoas e só deve ser realizado por pessoal treinado, devidamente equipado e oficialmente autorizado”, reforça a R3 Animal.

O que posso fazer se encontrar um animal marinho morto ou debilitado?

  • Caso encontre um mamífero, ave ou tartaruga marinha debilitada ou morta na praia, ligue 0800 642 3341;
  • mantenha distância e ajude a isolar a área;
  • evite contato desses mamíferos ou outros animais silvestres com bichos de estimação, pois eles podem transmitir doença entre si. Os cachorros também podem atacar o animal.
  • evite tirar fotos com o uso de flash, nem forneça alimentos ou force o animal a entrar na água. 
Equipes realizam monitoramento de baleias no litoral catarinense — Foto: Emanuel Ferreira/R3 Animal

Orientações para observar baleias
 
A portaria 117/96 do Instituto do Meio Ambiente (Ibama) define regras relativas à prevenção do molestamento de cetáceos encontrados em áreas brasileiras (veja algumas regras):

  • Respeite as distâncias de aproximação embarcada (desligar ou colocar os motores em neutro a 100m);
  • nunca avance bruscamente na direção das baleias;
  • não se aproxime por detrás das baleias, nem intercepte o seu curso, mantenha-se afastado em posição lateral;
  • não separe grupos de baleias ou mães de filhotes;
  • nunca religue os motores sem avistar claramente os animais na superfície;
  • não faça ruídos desnecessários, nem jogue qualquer objeto na água;
  • não permaneça junto às baleias por mais de 30 minutos.

Por Valéria Martins

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.