‘Bambi fica na manada’: campanha pede apoio de ONGs para elefanta NÃO VOLTAR a zoológico

‘Bambi fica na manada’: campanha pede apoio de ONGs para elefanta NÃO VOLTAR a zoológico
Bambi (à direita) ao lado de Rana.

Dezenas de grupos que atuam na defesa e proteção dos animais em várias partes do país estão se mobilizando e pedindo apoio de outras ONGs para que a elefanta Bambi não seja levada de volta ao zoológico de Ribeirão Preto (SP). A campanha BAMBI FICA NA MANADA peticionará à Justiça de São Paulo para que o animal permaneça sob os cuidados do Santuário de Elefantes Brasil – SEB (https://elefantesbrasil.org.br/), em Chapada dos Guimarães (MT), onde convive com as elefantas asiáticas Maia, Rana, Mara e Lady desde setembro de 2020. Grupos ambientalistas e até organizações da sociedade civil de outras áreas também estão aderindo à campanha como co-signatárias do documento que será dirigido ao juiz da 1ª Vara da Fazenda Pública do município no interior paulista.

As entidades solicitam que outros grupos enviem declarações de adesão e permitam a inclusão de sua manifestação na ação civil pública. A petição judicial será protocolada dentro de alguns dias pela ONG Olhar Animal, de São Paulo, SP, habilitada no processo na condição de amicus curiae. O propósito é mostrar ao Judiciário paulista que o movimento de proteção animal, representado por expressivo número de organizações, entende que o melhor para a elefanta Bambi é que ela permaneça no Santuário e, portanto, reconhece a competência do Santuário para garantir seu bem-estar. A mobilização teve início após o representante do Ministério Público Estadual (MPE) em Ribeirão Preto (SP), Wanderley Baptista da Trindade Júnior, peticionar ao juiz para que Bambi RETORNE ao Bosque e Zoológico Municipal Fábio Barreto, de onde foi resgatada pelo SEB com visíveis sinais da debilidade de sua saúde após decisão de caráter liminar do Tribunal de Justiça de São Paulo.

A transferência para o Santuário

A ação civil pública foi ajuizada em julho de 2020 pela ONG Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal após tentativas morosas e frustradas de negociação pela transferência da elefanta Bambi, de 58 anos e com seu estado de saúde decaindo especialmente por conta do confinamento. O principal argumento do zoológico e do promotor de justiça CONTRA a mudança para o Mato Grosso foi o de que a viagem seria perigosa para Bambi, já idosa e cega de um olho. Porém, o Tribunal de Justiça de SP decidiu em favor da transferência, desconsiderando o parecer do promotor. E nada de anormal ocorreu durante os dois dias da viagem entre o zoológico e o Santuário. Tudo ocorreu como o planejado pela experiente equipe do SEB e há meses a elefanta está se recuperando de problemas causados pelo confinamento em zoológicos e por sua vida compulsoriamente errante e sofrida em circos. Os vídeos e relatos da equipe do SEB mostram claramente que Bambi está muito feliz pelos cuidados inéditos que recebe e pela convivência com outros animais da sua espécie. As vocalizações da Bambi mostram clara e incontestavelmente sua alegria ao lado das companheiras (https://www.facebook.com/santuariodeelefantes/posts/2906983992736399https://www.instagram.com/tv/CGBBL5PHx62/?igshid=wf87gjih0jvm). Outros vídeos sobre a Bambi e também sobre as outras quatro elefantas revelam um ambiente onde podem expressar suas naturezas quase como se estivessem em seu próprio habitat. As imagens podem ser vistas nas páginas do SEB no Facebook (https://www.facebook.com/santuariodeelefantes/) e no Instagram (https://www.instagram.com/elefantesbrasil/). 

PORÉM, contrariado, o promotor solicitou à Justiça que A ELEFANTA BAMBI SEJA LEVADA DE VOLTA AO ZOOLÓGICO. Os ativistas questionam: “Se o problema era a viagem, como o promotor explica este pedido?” Os argumentos do promotor agora são de que não havia uma situação de maus-tratos à elefanta no zoológico, de que Bambi é “patrimônio” da cidade e de que a decisão do desembargador do TJSP atropelou uma negociação entre MPE, Prefeitura e Santuário, na realidade encerrada pela prefeitura em virtude de um parecer do Departamento de Fauna de SP (DEFAU) contrário à transferência. Ele também questiona a competência técnica e a capacidade financeira do Santuário para manter Bambi. Mas na petição em que pede o retorno de Bambi, o promotor se omite sobre qualquer perigo nesta nova viagem. “Entendemos que o promotor, ao pedir a volta da Bambi sem fazer qualquer menção a problemas que poderiam ocorrer na viagem de retorno, faz crer que as condições da elefanta hoje são melhores do que quando ele se opôs à transferência, apesar dela estar alguns meses mais idosa. Seu silêncio sobre isso atesta a competência do Santuário em melhorar as condições de vida da elefanta e reforça a convicção de que ela deve permanecer no SEB”, dizem os ativistas. 

Um fato chama à atenção. O próprio Ministério Público de São Paulo, por meio da Promotoria de Justiça no município de Sorocaba, recomendou recentemente a transferência do elefante Sandro do zoológico de daquela cidade para o mesmo Santuário de Elefantes Brasil (https://g1.globo.com/sp/sorocaba-jundiai/noticia/2020/12/11/mp-recomenda-que-elefante-seja-transferido-para-santuario-apos-morte-de-companheira-em-zoologico.ghtml). Instituições públicas de outros estados e até mesmo do exterior também indicaram/avalizaram o Santuário no MT como melhor destino para elefantes. Animais doados pelos governos das províncias argentinas de Mendoza e Buenos Aires começarão a chegar em breve ao Mato Grosso.

A campanha

As ONGs que estão aderindo à campanha serão co-signatárias de uma PETIÇÃO JUDICIAL (http://olharanimal.org/wp-content/uploads/2021/01/PETICAO_BAMBI_FICA_NA_MANADA.pdf) dirigida ao juiz de Ribeirão Preto e, se necessário, aos desembargadores do Tribunal de Justiça e aos ministros do STJ/STF, para que o pedido da Promotoria de Justiça de Ribeirão Preto para que a Bambi VOLTE PARA O ZOOLÓGICO da cidade NÃO SEJA ATENDIDO.

Os grupos que até o momento enviaram a declaração de apoio à campanha são:*

  • Fundação Centro Teosófico Raja – Itapecerica da Serra/SP
  • SPAC – Sociedade Protetora de Animais de Curitiba – Curitiba/PR
  • ONG Canto da Terra – São Paulo/SP
  • Associação Natureza em Forma – São Paulo/SP
  • VEDDAS – Vegetarianismo Ético, Defesa dos Direitos Animais e Sociedade – São Paulo/SP
  • UIPA – União Internacional Protetora dos Animais – São Paulo/SP
  • Instituto Cahon – Sorocaba/SP
  • IEPA – Instituto Ecológico e de Proteção aos Animais – São José dos Campos/SP
  • Projeto GAP – Great Ape Project – Sorocaba/SP
  • Quintal de São Francisco Associação Beneficente de Proteção aos Animais – São Paulo/SP
  • Mountarat – Associação de Proteção Animal – Santo André/SP
  • Projeto Mucky – Itu/SP
  • Associação Centro de Convivência Humano Animal – Humanimal – São Bernardo do Campo/SP
  • ONG Anjos de Patas Indaiatuba – Indaiatuba/SP
  • ONG Anjos Peludos – Teresópolis/RJ
  • Associação de Difusão Comunitária TV Quê Ve – Balneário Camboriú/SC
  • ONG Anjos dos Bichos – Mairinque/SP
  • Centro de Orientação Ambiental Terra Integrada – Jundiaí/SP
  • Associação Mata Ciliar – Pedreira/SP
  • FAOS-SP (Federação das Associações e ONGs de Proteção Animal de SP) – São Paulo/SP
  • Rede de Mobilização pela Causa Animal – Lauro de Freitas/BA
  • Associação Protetora de Animais de Campo Largo – Campo Largo/PR 
  • Instituto Internacional Arayara – Curitiba/SP
  • Santuário Abraço Animal – São Roque/SP
  • Santuário Filhos de Shanti – Pindamonhangaba/SP
  • Grupo Eco Animal – Santa Cruz do Sul/RS
  • Projeto Bichos do Gueto – São Paulo/SP
  • ONG Ética Animal – Florianópolis/SC (sede nos EUA) 
  • Associação para Conservação da Vida Silvestre (CONVIDAS) – Passo Fundo/RS
  • SOS Animais e Plantas – João Pessoa/PB
  • Núcleo de Justiça Animal da Universidade Federal da Paraíba – João Pessoa/PB
  • Associação Sempre a seu Lado – Araras/SP
  • GAPA-MA – Grupo de Assistência e Proteção aos Animais e ao Meio Ambiente – Petrópolis/RJ
  • Elo Animal da Rede Sustentabilidade – Brasília/DF
  • Comissão Especial de Direitos Animais da OAB – Santa Maria, RS
  • ASSEAMA – Associação Espírita Amigos dos Animais – São Paulo/SP
  • Movimento SOS Bicho de Proteção Animal – Curitiba/PR

* A lista será atualizada à medida que outras ONGs enviarem a declaração de adesão à campanha.

Como participar

Os organizadores da campanha BAMBI FICA NA MANADA informam ser bem vinda a participação de ONGs de proteção animal, ambientalistas e quaisquer outras da sociedade civil que desejem ser co-signatárias da petição que será protocolada na Justiça. 

Os grupos que tiverem interesse em participar podem fazê-lo enviando uma Declaração de Adesão, que será juntada com as demais no processo que corre na Justiça. A declaração deve ser enviada NO CORPO DO E-MAIL (não como anexo) para [email protected], tendo como “Assunto: BAMBI FICA NA MANADA”. Os organizadores sugerem o seguinte texto:

DECLARAÇÃO – APOIO À CAMPANHA “BAMBI FICA NA MANADA”

Declaro, na condição de representante da/do (NOME DA INSTITUIÇÃO), nossa adesão à campanha “BAMBI FICA NA MANADA” com o propósito exclusivo de apoiar a manutenção da elefanta BAMBI sob os cuidados da equipe técnica do Santuário de Elefantes Brasil (SEB), com sede na Chapada dos Guimarães (MT), e repudiar seu retorno ao Bosque e Zoológico Municipal Fábio Barreto, em Ribeirão Preto (SP).

Assim, autorizamos a inclusão da instituição no rol das co-signatárias da PETIÇÃO JUDICIAL que solicita a permanência da Bambi no SEB, documento este dirigido ao Exmo. Juiz da 1ª Vara da Fazenda Pública de Ribeirão Preto (SP) e que será protocolado pela ONG Olhar Animal no processo nº 1020351-16.2020.8.26.0506, onde está habilitada na condição de amicus curiae.

Nome do representante da ONG
Razão social da ONG
Cidade/estado sede da ONG
Nº do CNPJ
Dados para contato: e-mail e telefone com DDD

Fonte: Olhar Animal

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.