Barragem de Mariana até chuvas em Maceió: veterinária mineira que esteve no RS conta como é o voluntariado em tragédias

Barragem de Mariana até chuvas em Maceió: veterinária mineira que esteve no RS conta como é o voluntariado em tragédias
Veterinária de Barbacena passou 10 dias na linha de frente dos resgates de animais no Rio Grande do Sul — Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução

Gabriela Liguori, veterinária de Barbacena que atuou durante 10 dias na linha de frente nas enchentes do Rio Grande do Sul deve voltar ao estado gaúcho para continuar os trabalhos de resgate de animais: “Estou me programando para retornar ainda no começo de junho”.

Ela afirma que não consegue ficar parada diante de tragédias como a que vive o povo – e os animais – gaúchos.

“A diferença do que está acontecendo lá para outras enchentes que atuei é que a água vem, destroi e vai embora. Agora está demorando muito a abaixar. Isso dificulta tudo.”

Gabriela atua como voluntária há mais de 10 anos junto ao Grupo de Resposta à Animais em Desastres (GRAD). O trabalho da instituição vai além dos resgates e passa também pelo tratamento posterior dos animais e até mesmo de prevenção.

Rompimento da barragem de Mariana

Veterinária atuou nos resgates durante o rompimento da barragem em Mariana, que arrasou o distrito de Bento Rodrigues. — Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução
Veterinária atuou nos resgates durante o rompimento da barragem em Mariana, que arrasou o distrito de Bento Rodrigues. — Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução

A veterinária atuou no resgate e cuidado de animais durante o rompimento da barragem da Samarco, em Mariana, no dia 5 de novembro de 2015. Gabriela esteve junto ao GRAD no Distrito de Bento Rodrigues, que foi devastado pela lama.

Chuvas de 2020 em Espera Feliz

Em fevereiro de 2020, o município mineiro de Espera Feliz sofreu com fortes chuvas, que deixaram mais de 1.500 desabrigados. Na época, estimou-se que cerca de 10 mil pessoas foram afetadas na cidade e que o nível do rio chegou a subir 3 metros.

Chuvas de 2020 no município de Espera Feliz deixaram mais de 1.500 pessoas desabrigadas — Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução
Chuvas de 2020 no município de Espera Feliz deixaram mais de 1.500 pessoas desabrigadas — Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução

Gabriela cuidou dos animais atingidos. Segundo a veterinária, muitas vezes o trabalho não é o resgate em si.

“Por isso até que o nome da instituição passou a ser ‘Resposta’ à animais em desastres e não Resgate. Nesses casos, por exemplo, o trabalho é muito nos cuidados e tratamentos dos bichos atingidos. Eles acabam contraindo muitas doenças.”

Ação com animais do Pantanal em 2021

O trabalho voluntário dos integrantes do GRAD também é referente aos cuidados de prevenção para os bichos, muitas vezes em locais que acabam “esquecidos”. Em julho de 2021, a veterinária esteve no Pantanal para realizar a castração dos animais das comunidades ribeirinhas.

“Pantanal foi uma ação do GRAD junto à ONG ‘É o bicho’. Contamos com o apoio da Marinha do Brasil, ficamos dentro do navio da Marinha e montamos um hospital de campanha para realizar a castração dos animais das comunidades ribeirinhas.”

Ações de castração de animais das comunidades ribeirinhas do Pantanal teve auxílio da Marinha do Brasil — Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução
Ações de castração de animais das comunidades ribeirinhas do Pantanal teve auxílio da Marinha do Brasil — Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução

Incêndio na Serra de São José

Considerado um dos maiores incêndios da região, atingiu cidades históricas de Minas Gerais, em setembro de 2021. Na época, registros apontaram que o fogo atingiu uma área maior que 800 campos de futebol.

Incêndio na Serra de São José atingiu uma área de vegetação maior que 800 campos de futebol em cidades históricas — Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução
Incêndio na Serra de São José atingiu uma área de vegetação maior que 800 campos de futebol em cidades históricas — Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução

Os trabalhos dos militares do Corpo de Bombeiros duraram mais de 4 dias, e o fogo não chegou a atingir residências. Mas foi preciso a atuação de veterinários para realizarem os cuidados dos animais da área. Gabriela esteve atuante em Tiradentes.

Chuvas de 2022 em Maceió

Voluntários do GRAD estiveram presentes também na maior enchente da história recente do estado de Alagoas, em 2022. Gabriela atuou em Maceió com os cuidados dos animais, que acabam contraindo diversas doenças de água contaminada.

Quase 70 mil pessoas foram obrigadas a deixarem suas casas por conta das chuvas. Mais da metade dos municípios do estado ficaram em situação de emergência.

Muitos cães e gatos também necessitam de cuidados após tragédias, principalmente por conta de doenças provenientes da água contaminada. — Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução
Muitos cães e gatos também necessitam de cuidados após tragédias, principalmente por conta de doenças provenientes da água contaminada. — Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução

Por Ana Clara Ciscotto (sob supervisão da editora Juliana Netto)

Fonte: G1