Bem-Estar Animal realiza a primeira captura de pombas para criação dos pombais ecológicos na Espanha

Bem-Estar Animal realiza a primeira captura de pombas para criação dos pombais ecológicos na Espanha
Foto: valencia.es

O Departamento de Bem-Estar Animal da Espanha realizou uma captura pontual de pombas em Valência com o objetivo de repopular os pombais ecológicos urbanos localizados em novos parques da cidade. Desta forma, o departamento poderá realizar um controle maior destas aves e gerenciar sua população de forma ética, evitando a eutanásia.

As capturas fazem parte de um projeto de gestão das pombas urbanas que o Departamento de Bem-Estar Animal colocou em ação com colaboração da entidade protetora dos animais “Nossas Amigas as Pombas”, que agrupa várias associações interessadas na proteção das pombas.

O projeto começou com a reparação e acondicionamento dos novos pombais, localizados nos parque da Ciutat (Cabecera, Polifilio, Benicalap, Orriols, Marxalenes, La Rambleta, Nazaret,Viveros e Parque del Oeste) para posteriormente colocar neles as pombas capturadas.

Nesta primeira fase, foi capturado um total de 210 pombas, que serão primeiramente transportadas ao centro de Avifauna Municipal de Nazaret, onde todas as aves que apresentam alguma doença serão tratadas; também serão selecionados os casais de aves mais adequados para serem colocados nos pombais, cada pombal comportará em média 30 aves.

“Para este projeto dos pombais ecológicos nós quisemos contar com as entidades que trabalham para o bem-estar das pombas, porque é importante ter essa sensibilidade também para aproveitar sua experiência, e porque eles são idôneos para trabalhar conosco em uma parte muito importante do projeto, que é a campanha de sensibilização e informação dirigida a todos os cidadãos e, em especial, para aquela parte da população que possa estar interessada em colaborar”, disse Glória Tello, diretora do Departamento de Bem-Estar Animal.

Nos pombais haverá alimento e água para que as pombas permaneçam entre cinco e sete dias, tempo necessário para sua climatização e adaptação. Uma vez no pombal, equipes das associações se responsabilização pela alimentação das aves, tratando quaisquer doenças e fazendo um acompanhamento. O excedente de pombas será libertado.

“Está demonstrado que a captura e posterior eutanásia das pombas não diminui a população de aves urbanas, portanto não era um método de controle eficaz, pelo contrário, causava sim maus-tratos. Com a repopulação dos pombais ecológicos pretendemos atrair essa população de aves para os parques e jardins para que elas possam ser controladas tanto em nível populacional como sanitário, e, além disso, colocadas em um lugar onde não causem problemas aos vizinhos e onde se possa produzir uma convivência benéfica para todos”, disse Tello.

Os parque onde serão instalados os pombais ecológicos encontram-se atualmente sem pombas, enquanto a grande maioria dessas aves se concentram no resto da cidade, produzindo certas moléstias aos vizinhos e gerando alguns conflitos. Atrair esta população de aves até os jardins é uma medida que pretende resolver esse conflito de uma forma ética e fometando a coabitação harmoniosa entre as pombas e os cidadãos.

Tradução de Alice Wehrle Gomide

Fonte: Valência Extra 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.