Betim (MG) investe na castração gratuita de cães e gatos

Betim (MG) investe na castração gratuita de cães e gatos
Cuidados. Depois de o pet ser castrado na Sepa, é feita a inserção de um micro-chip com seus dados. Foto: Ronaldo Silveira

Betim está investindo em uma importante medida para ajudar a diminuir o número de animais abandonados nas ruas e a reduzir o número de doenças dos animais. Desde agosto, mais de 600 animais receberam castração gratuita, por meio da Superintendência de Proteção e Bem Estar Animal (Sepa) , órgão ligado à Prefeitura de Betim.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que só no Brasil exista mais de 30 milhões de animais abandonados, entre 10 milhões de gatos e 20 milhões de cães.

Em Betim, a estimativa é que cerca de 15 mil estejam nas ruas. Diante desse cenário, a castração ajuda muito porque auxilia no controle da natalidade – (cada casal de cães que deixa de ser castrado tem a capacidade de gerar 80 mil descendentes em apenas 10 anos). 

Em Betim, a primeira etapa da castração é voltada para os animais que estão sob a  tutela de Organizações não Governamentais (ONGs) e para protetores que resgatam e acolhem animais abandonados na cidade. Inicialmente, estão sendo priorizadas cadelas e gatos – machos e fêmeas.

Segundo a superintendente da Sepa, Roberta Cabral, o projeto teve início em 2019 e, nem mesmo diante da pandemia, os trabalhos foram interrompidos. Porém, em agosto, o atendimento foi ampliado e mais de 680 animais passaram pelo procedimento. “A continuidade do projeto foi possível devido uma emenda parlamentar de autoria do deputado Fred Costa (Patriota), que é muito atuante na causa animal e tem nos ajudado bastante”, afirmou.

Segundo Roberta, a previsão é que até março de 2021, cerca de 6 mil animais sejam castrados na cidade. “Estamos atendendo pessoas que já se cadastraram e estão em nossa lista de espera. Porém, abriremos inscrições novamente e pretendemos realizar o máximo de atendimentos possíveis”.

Na quarta-feira (23), a estudante Natália Fonseca Monteiro levou seus dois gatos, um macho e uma fêmea, para realizar o procedimento na sede da Sepa, que fica no Parque de Exposições de Betim, na regional Norte.

“Tenho outros dois gatos em casa e resgatei esses dois no início do ano. Essa campanha é muito importante, porque nem todos podem arcar com os custos de uma cirurgia como essa e deixar eles sem castrar pode ser muito perigoso”, afirmou.

Quem estiver interessado em participar da segunda fase, que será voltada para tutores que não têm condições de pagar por uma castração, terá que se cadastrar e realizar agendamento na superintendência. “Esse serviço é destinado para aquelas famílias que sejam de Betim e tenham renda mensal de até três salários mínimos. Para se inscrever, o animal deve ter acima de seis meses e, ao contrário do que muitos pensam, não é necessário que tenha tido a primeira cria”, disse.

No próximo mês, o serviço será ampliado e a castração também será ofertada por meio de um castramóvel, que percorrerá todas as regionais de Betim. “É bom ressaltar que é um procedimento simples, sem complicações e sem dor. O animal é sedado e, correndo tudo bem, é liberado para ir para casa logo após a cirurgia”, pontuou Roberta.

Cuidados 

Ao resgatar ou adotar um animal, é importante ter consciência de que os cuidados vão além de dar ração, água e manter a higiene. Garantir as vacinas e a castração também é responsabilidade do tutor consciente.

“Acredito que a castração seja um dos aspectos mais importantes na causa animal. Uma cadela, por exemplo, pode reproduzir, de duas a três vezes por ano e, em alguns casos, podem parir até dez filhotes – o que pode resultar em mais dez cães adultos abandonados nas ruas. Esse é um problema que pode e deve ser resolvido com a castração”, frisou a presidente de honra da Apromiv e defensora da causa animal, Laura Medioli.

Por Dayse Aguiar 

Fonte: O Tempo

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.