Bezerros encontrados mortos desnutridos em Campo Grande (MS) podem ter sido alvo do tráfico de animais

Bezerros encontrados mortos desnutridos em Campo Grande (MS) podem ter sido alvo do tráfico de animais
Foto: Divulgação, Polícia Civil

A Polícia Civil de Mato Grosso do Sul segue investigando a origem dos 85 garrotes – bezerros em idade de desmame -, encontrados em estado de desnutrição em uma chácara próxima a uma estrada vicinal de Campo Grande. Uma das hipóteses que será apurada é de que eles tenham sido alvo de traficantes de animais.

O caso foi descoberto na terça-feira (18) e seis animais foram encontrados mortos no local.

Segundo informações apuradas pelo Jornal Midiamax, o dono do local arrendava a fazenda para um homem de 38 anos conhecido como ‘paraguaio’, que seria responsável por trazer os animais até Mato Grosso do Sul.

Na tarde desta quarta-feira (19), o corretor de compras, que fez o intermédio da compra e venda dos animais, prestou depoimento na Decat (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Ambientais e de Atendimento ao Turista) e afirmou que os animais eram alimentados por ele a cada dois dias. Contudo, a vistoria indicou que os animais estavam há dias sem se alimentar.

No depoimento, o homem disse que em 4 de julho comprou 56 animais por R$ 1 mil cada diretamente com o ‘paraguaio’. Em 13 de julho, mais 90 animais foram adquiridos e seriam levados até a cidade de Rochedo.

Segundo ele, os animais foram levados para a chácara onde ficariam até o dia do transporte, contudo diversos bezerros acabaram fugindo do local.

Maércio Barbosa, titular da Decat, explicou que os animais estavam com indícios de subnutrição e alguns mortos por pneumonia. Agora, a investigação apura a origem dos bezerros.

Conforme o delegado, os animais podem ter sido contrabandeados do Paraguai, já que não há produção em MS, o que viola as normas sanitárias da Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal de Mato Grosso do Sul) e coloca em risco a saúde da população.

A pena para o crime de maus-tratos pode chegar a cinco anos de reclusão, além da multa.

Animais receberam ração nesta quarta-feira (19). Foto: Divulgação, Polícia Civil
Animais receberam ração nesta quarta-feira (19). Foto: Divulgação, Polícia Civil

Por Lethycia Anjos e Monique Faria

Fonte: Midiamax

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.