Mamífero deverá ser devolvido ao seu habitat natural após passar por análises médicas e readaptação. Foto: PMPE/Divulgação

Bicho-preguiça é resgatado em Maranguape II, Paulista, PE

Um bicho-preguiça foi resgatado, na noite desse sábado, após ser encontrado dentro de uma residência no bairro de Maranguape II, no Paulista. Não se sabe exatamente como o mamífero apareceu na casa, mas equipes da Companhia Independente de Policiamento do Meio Ambiente (Cipoma) foram acionadas para fazer o recolhimento. O animal ficou sob os cuidados da Polícia Militar até ser levado para a Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) para as verificações veterinárias e readaptação. Posteriormente, será devolvido ao seu habitat natural.

Saiba mais sobre o bicho-preguiça

A preguiça é um mamífero exclusivo das Américas Central e do Sul, são arborícolas, com hábitos diurnos e noturnos e herbívoros (alimentando-se de brotos e folhas). No Brasil é um mamífero endêmico da Mata Atlântica nos estados do Rio de Janeiro, Sergipe, Bahia, Espírito Santo e nordeste de Minas Gerais, estando presente em regiões que apresentam florestas úmidas, secas e até em árvores isoladas, logo estando presente em boa parte do país.

As principais características da preguiça são: em média pesam 4 kg, possuem 60 cm de comprimento, a pelagem é densa com pelos longos, grossos e ondulados, mas na face apresenta pelos finos e curtos. A cor da pelagem vai variar dependendo da espécie, mas é sempre em volta das tonalidades marrom, amarelo e branco, podendo ter a coloração verde quando associados a algas que podem viver em seus pelos. A cauda destes animais são curtas e os membros superiores são sempre maiores que os inferiores. Os dedos das mãos possuem longas garras.

Recebem o nome de bicho-preguiça devido à sua baixa atividade metabólica, que torna o animal mais lento que os demais mamíferos, e também devido à lenta atividade do organismo, pois dormem até 20 horas por dia. Ficam com baixas temperaturas, já que o sangue circula lentamente, fazendo com que permaneçam muitas horas sob o sol para se aquecer. Eles descem das árvores apenas uma vez na semana para defecarem e urinarem, também devido ao baixo metabolismo, ou para mudar de árvores quando elas estão muito longes umas das outras. Além disso, são excelentes nadadores, comumente podem ser vistos nadando em água doce.

Devido a sua vagareza de movimentos, não são animais que fogem dos predadores, utilizam justamente seus movimentos lentos e sua coloração em tons de marrons e muitas vezes esverdeadas pelas algas para se camuflar nas árvores e se esconderem dos predadores.

Com informações da InfoEscola

Fonte: OP9