Blitz aborda motoristas para conscientização do problema do atropelamento de animais em Sorocaba, SP

Blitz aborda motoristas para conscientização do problema do atropelamento de animais em Sorocaba, SP

SP Sorocaba blitz atropelamento animais

A Blitz da Biodiversidade realizada nesta quarta-feira (dia 7), na Avenida São Paulo, próximo à Rodovia Raposo Tavares (SP-270), resultou na abordagem de centenas de veículos pela equipe da Secretaria do Meio Ambiente (Sema). Apenas na primeira hora, das 9h às 10h, 56 motoristas participaram da ação, que visou conscientizá-los sobre o problema do atropelamento de animais silvestres, que é uma séria ameaça para a fauna brasileira. O trabalho foi finalizado às 16h.

A ação educativa da Prefeitura de Sorocaba contou com apoio da Urbes – Trânsito e Transportes e integrou a programação especial em comemoração aos 47 anos de fundação do Parque Zoológico Municipal “Quinzinho de Barros” (20 de outubro) e ao Dia do Lobo-Guará (12 de outubro), que neste ano será comemorado de uma forma mais especial, já que a Sociedade de Zoológicos e Aquários do Brasil (SZB) declarou 2015 como sendo o “Ano do Lobo-Guará”.

Funcionários do Parque Zoológico Municipal “Quinzinho de Barros” e do Parque Natural Municipal Corredores de Biodiversidade “Marco Flávio da Costa Chaves”, com máscaras de animais silvestres, placas, adesivos e material informativo, chamaram a atenção dos motoristas que passaram por esta via.

Durante a blitz educativa foi divulgado o Sistema Urubu, um aplicativo de celular gratuito que auxilia no levantamento de animais atropelados em todo território nacional para fins de pesquisa e execução de ações preventivas em relação a este problema.

O pedagogo Silvio Tavares, morador de Araçoiaba da Serra, foi um dos motoristas abordados pela blitz. Gentilmente ele autorizou a equipe da Sema a colocar o adesivo “Eu freio para animais” no seu veículo e ainda afirmou que vai baixar o aplicativo em seu celular para ajudar neste trabalho. “Vejo muitos animais atropelados tanto na rodovia Raposo Tavares, como na estrada para o bairro de Araçoiabinha. Já vi gambá e porco-espinho, além de cachorros”, comentou.

Dados

Segundo estimativa do Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas, mais de quinze animais morrem a cada segundo nas estradas brasileiras e muitos deles são de espécies ameaçadas de extinção. Esse número totaliza cerca de 475 milhões de animais mortos por ano.

Sorocaba também sofre com o problema de animais silvestres atropelados, principalmente em sua área rural e em áreas periféricas da cidade onde ainda se encontram fragmentos de vegetação.

De acordo com a Sema, as espécies de animais silvestres mais atropelados e que também vivem em Sorocaba são: o gambá-de-orelha-branca (Didelphis albiventris), cachorro-do-mato (Cerdocyon thous), ratão-do-banhado (Myocastor coypus), capivara (Hydrochaeris hydrochaeris) e uma espécie de lagarto chamado teiú (Tupinambis merianae).

No dia 15 de novembro do ano passado foi realizado o Dia Nacional de Urubuzar, uma das maiores campanhas de conservação da vida silvestre realizada no Brasil. A Prefeitura de Sorocaba também se engajou neste movimento e promoveu ações no Parque Zoológico Municipal “Quinzinho de Barros” para divulgar o Sistema Urubu. A iniciativa da campanha é da Sociedade de Zoológicos e Aquários do Brasil (SZB), do Parque das Aves em Foz do Iguaçu e do Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas (CBEE).

De acordo com a Sema, a ação foi sucesso em todo o Brasil. Porém, para minimizar o problema do atropelamento da fauna silvestre é necessário realizar ações de longo prazo para gerar resultados concretos e a Blitz da Biodiversidade é uma delas.

O Sistema Urubu

O Sistema Urubu é um aplicativo de celular disponível gratuitamente para aparelhos com Android e IOS. Ele permite a qualquer cidadão contribuir com a conservação da fauna, ajudando a proteger os animais silvestres de atropelamentos.

O sistema é pioneiro no Brasil e faz parte de uma nova geração de ações em prol da conservação da biodiversidade. Cada pessoa, tendo este aplicativo em mãos, pode fazer a diferença. Quanto mais pessoas “urubuzarem”, mais exatos serão os dados obtidos e melhores as medidas que podem ser tomadas para evitar os atropelamentos de espécies da fauna. Assim cria-se uma rede em que as atividades têm impacto real na proteção dos animais silvestres.

Seu uso é muito simples: encontrando um animal atropelado, você tira uma foto usando o aplicativo. O local da foto e a data são marcados automaticamente e a foto é enviada para o Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas (CBEE).

Os profissionais do CBEE, por sua vez, juntam todos os dados enviados para fazerem análise dos pontos vulneráveis e, então, proporem mudanças para reduzir os atropelamentos.

O Sistema Urubu é constituído por três partes: o aplicativo Urubu Mobile, que coleta os dados; a plataforma Urubu Web, que faz a gestão de dados; e o Urubu Map, que fica disponível para que as pessoas vejam as informações no mapa.

Fonte: Sorocaba Fácil

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.