Bombeiro encontra beija-flor ferido na calçada, cuida dele por 15 dias e o devolve para o Cras: 'Voa cara, voa'

Bombeiro encontra beija-flor ferido na calçada, cuida dele por 15 dias e o devolve para o Cras: ‘Voa cara, voa’

Caído e sem poder bater as asas, o beija-flor ficou parado ali, em uma calçada de Campo Grande. Alimento também não tinha e debilitado, o destino poderia ser fatal para ele. Mas, há 15 dias, a solidariedade cruzou o caminho e o bombeiro Marcos Felipe Santos Rocha, de 28 anos, o recolheu. O animal ganhou o nome de Juarez e se tornou fiel companheiro, até o dia em que o soldado optou por reintegrá-lo ao seu habitat natural.

Neste período, segundo Marcos, a alimentação do Juarez ocorreu com água e açúcar mascavo diluído, além de afagos, carinho e muita paciência. Aos poucos, com a melhora, o bombeiro fez tentativas, dizendo: voa cara, voa.

Beija-flor ganhou nome de Juarez e recebeu cuidados de soldado em MS. — Foto: Marcos Rocha/Arquivo Pessoal

“Ele foi encontrado muito fraco, quase morrendo. Quando o peguei, achei que ia se recuperar mais rápido. O pessoal estranhou ele ficar muito tranquilo, na mão de um e outro, mas, não tinha vontade de fugir. Eu cuidei dele por duas semanas e o trazia quando estava no meu plantão aqui no quartel. Nos intervalos, eu o alimentava”, contou Marcos.

Com o passar dos dias, Marcos conta que ele voava muito pouco. “Ele precisa se alimentar várias vezes ao dia, já que a pulsação dele é muito acelerada. Na minha preocupação de faltar, optei por ligar lá no Cras [Centro de Reabilitação de Animais Silvestres]. O biólogo disse que ele estava bem, continuam cuidando, porém, ele ainda não voou e vou continuar acompanhando”, finalizou.

Beija-flor foi levado para o Cras após 15 dias de cuidados em MS. — Foto: Marcos Rocha/Arquivo Pessoal

Por Graziela Rezende

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.