Bombeiros e moradores resgatam cavalo que caiu em buraco; veja

Bombeiros e moradores resgatam cavalo que caiu em buraco; veja

Animal ficou mais de 24h dentro de vala em Valparaíso de Goiás. Após ser resgatado, equino estava debilitado e não conseguia se levantar.

Um cavalo foi resgatado, na terça-feira (25), quase 24 horas depois de cair em um buraco de um lote baldio em Valparaíso de Goiás, no Entorno do Distrito Federal. Vizinhos e bombeiros se uniram para tirar o animal, chamado de Cardão, da vala.

Apesar de ter apenas um metro de profundidade, o buraco era estreito, impossibilitando que o equino saísse do local sozinho. Moradores da região cavaram as laterais da vala para aumentar o diâmetro, mas não conseguiram retirar o animal.

Vizinhos contam que acionaram o Corpo de Bombeiros, mas a corporação demorou mais de 24 horas para ajudá-los.

“O dono já tinha ligado para o bombeiro. A gente quando chegou, ligou novamente e o bombeiro falou que ia demorar um pouquinho, mas que ia vir. Deu umas 10, 11 horas da noite e a gente foi embora. No outro dia, a gente veio de novo e o cavalo continuava no buraco”, conta Érica de Assis.

Os bombeiros alegam que demoram a resgatar o equino porque não encontraram o local quando foram acionados, na noite de segunda-feira (24). A corporação informou ainda que entrou em contato com o solicitante, mas ele não estava mais no local e não soube orientar a equipe a chegar onde o animal estava.

“Por se tratar de um local de difícil acesso, a viatura veio e nós não achamos o endereço. Nós fomos acionados hoje de novo e, cedo, deslocamos para cá”, alegou o sargento do Corpo de Bombeiros Alexandre Villaça.

Após o resgate, os bombeiros tentaram levantar o animal, mas não conseguiram. A queda deixou o cavalo, de 8 anos, abatido. Ele ficou deitado ao lado do buraco.

Tutor do cavalo, Francisco Mendes tem esperança de que o bicho se recupere. “Ele está com uma boa reação porque está comendo. Então, eu vou pegar e trazer água e dar banho também”, disse.

GO Valparaiso bombeiros cavalo

Assista ao vídeo clicando aqui.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.