Bombeiros resgatam mais de 130 animais silvestres em casas de RO

Bombeiros resgatam mais de 130 animais silvestres em casas de RO
Bombeiros resgatam animais silvestres em Ariquemes (Fotos: Jeferson Carlos/G1)

Em Ariquemes (RO), na região do Vale do Jamari, o Corpo de Bombeiros divulgou o resgate de mais de 130 animais peçonhentos, em 2016, de dentro dos imóveis. Na manhã desta segunda-feira (28), mais um caso foi registrado, com a captura de uma cobra no Setor Zona Sul. No início do período das chuvas, na maioria dos casos, os animais procuram por abrigo em que não esteja alagado e tendem a invadir as residências, conforme a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Sema).

De acordo com o sargento dos bombeiros, Angeliton Carlos, estes tipos de situações ocorrem com certa frequência no município devido às condições climáticas da região amazônica. Mas ele enfatiza aos moradores que o recomendável é solicitar os bombeiros para ir até o local e fazer o resgate do animal de maneira segura.

“Em certos casos, o morador reside próximo ao habitat natural do animal e acaba sendo comum encontrar animais neste período das chuvas. Existem espécies de animais peçonhentos e inofensivas, mas, quando o morador se depara com um animal dentro de casa, ele sente medo e acaba matando o animal, o que gera um desequilíbrio na fauna. Por isso, é sempre importante nos comunicar para capturar o animal e devolvê-lo à mata”, recomenda.

Mais um animal foi resgatado em Ariquemes na manhã desta segunda-feira (28)
Mais um animal foi resgatado em Ariquemes na manhã desta segunda-feira (28)

O biólogo da Sema, Rogério Sanches, explica que esses tipos de animais abandonam os seus abrigos que estão alagados e procuram por um novo local para ficar. “Ao iniciar as chuvas, esses abrigos ficam alagados e, por não se sentirem seguros, eles saem para procurar novos abrigos que estão secos, o qual incide deles invadirem os quintais das residências e causar certos transtornos para os moradores”, analisa.

Sanches ainda comenta que estes tipos de animais podem se tornar agressivos caso a pessoa venha a mexer com eles. “É importante não matar o animal, pois são animais que não possuem comportamento agressivo e apenas se defendem. Os acidentes ocorrerem quando a pessoa passa por perto, pisa em cima ou mexe com o bicho, que acaba atacando para se defender, porém o correto é não matar, pois cada um possui a sua importância na natureza”, expõe.

Mais um caso

Na manha desta segunda-feira, a estudante Ana Carolina foi mais uma moradora que levou um grande susto ao encontrar uma jiboia de aproximadamente um metro e meio embaixo de uma churrasqueira no quintal de casa, no Setor Zona Sul. “Eu estava lavando roupa, quando olhei para baixo e avistei a cobra. Fiquei com muito medo e liguei para o meu pai, que veio até aqui e ligou para os bombeiros”, revela.

De acordo com os bombeiros, todos os animais capturados são colocados em uma caixa e, em seguida, soltos nas regiões de mata.

Por Jeferson Carlos 

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.