Born Free completa o gigantesco resgate e realocação de leopardos em uma distância de 12,9 mil km

Born Free completa o gigantesco resgate e realocação de leopardos em uma distância de 12,9 mil km

A sexta-feira, 3 de maio, marcou o Dia Internacional do Leopardo. Assim, coincidindo com esse dia de comemoração e conscientização sobre o icônico grande felino malhado, uma colaboração global de organizações anunciou os estágios finais de uma enorme operação para resgatar dois leopardos de uma vida de abuso de direitos dos animais e tráfico.

Na quarta-feira, a Born Free Foundation e seus parceiros internacionais conseguiram translocar dois leopardos para seu lar ancestral na África do Sul. Lá, os dois começaram suas novas vidas no Santuário de Grandes Gatos da Born Free na Shamwari Private Game Reserve.

Resgate de leopardos pela Born Free

Comerciantes ilegais de animais selvagens traficaram a mãe e a filha Alda e Ginny para um criadouro ilegal em Śrem, perto de Poznań, na Polônia. Acredita-se que as duas tenham quatorze e oito anos de idade, respectivamente, e os comerciantes as confinaram em condições sujas e apertadas:

Born Free completa o gigantesco resgate e realocação de leopardos em uma distância de 8.000 milhas (12,9 mil km)

Isto é, até 2017, quando as autoridades invadiram a fazenda de animais e fecharam as instalações.

Uma equipe de especialistas do centro belga de resgate de animais selvagens, o Natuurhulpcentrum (NHC), viajou para buscar Alda e Ginny. De forma alarmante, eles as encontraram com pelagem suja e mostrando sinais de desnutrição. Desde 2017, a equipe dedicada do NHC tem cuidado da mãe e da filha. Eles têm dado a elas os cuidados especializados de que precisam para começar a se recuperar de sua provação.

Uma jornada épica

Inicialmente planejado como um lar temporário, o NHC tem mantido Alda e Ginny sob seus cuidados desde então. Durante esse tempo, a NHC, a Born Free e seus parceiros trabalharam durante anos para garantir toda a documentação e os certificados corretos para realojá-las:

Significativamente, esse realojamento se tornou realidade esta semana. Alda e Ginny viajaram mais de 8.000 milhas (12,9 mil km) por estrada e ar em voos internacionais e domésticos. Por fim, chegaram ao seu destino no Santuário de Grandes Gatos da Born Free em Shamwari, em Cabo Oriental, na África do Sul.

Depois de sua jornada épica, na quarta-feira, os leopardos deram passos cautelosos para fora de suas jaulas e entraram em seu recinto de 2,5 acres de mata. Começaram cheirando o solo sul-africano sob suas patas. Em seguida, examinaram cuidadosamente o novo ambiente:

Em meia hora, mãe e filha se encontraram e continuaram a desfrutar da privacidade dos arbustos e da mata densa:

Born Free completa o gigantesco resgate e realocação de leopardos em uma distância de 8.000 milhas (12,9 mil km)

Como resultado, a gerente da Born Free na Shamwari Private Game Reserve, Catherine Gillson, disse:

“A mudança dramática que Ginny e Alda estão prestes a experimentar em suas vidas será um privilégio de se ver. As condições horríveis pelas quais passaram enquanto viviam em seu local de nascimento, a Polônia, em um centro de reprodução ilegal, serão um forte contraste com a vegetação natural espessa em seus recintos, cercados por seus ancestrais indígenas na Shamwari Private Game Reserve.

Embora, infelizmente, elas nunca possam ser totalmente soltas na natureza, esperamos que se adaptem rapidamente ao novo ambiente, onde terão um enriquecimento natural, serão alimentadas com a dieta correta e viverão suas vidas sob os cuidados respeitosos de nossa dedicada equipe de cuidados com animais da Born Free.”

Um sucesso para a biodiversidade e os direitos dos animais

A realocação ocorreu após uma operação bem-sucedida semelhante realizada pela Born Free em março para realojar dois leões resgatados de uma fazenda de animais abusiva na Ucrânia.

Notavelmente, a Born Free concluiu as duas importantes realocações em seu auspicioso aniversário de 40 anos.

Diante disso, o diretor de políticas da Born Free, Dr. Mark Jones, disse:

“Embora não esteja totalmente claro o propósito pelo qual esses pobres leopardos e tantos outros animais selvagens foram criados e mantidos ilegalmente na instalação polonesa, é muito provável que, se não tivessem sido resgatados, seu futuro teria sido realmente muito sombrio.

O comércio de animais selvagens, tanto legal quanto ilegal, é uma das principais causas da perda de biodiversidade e um dos principais fatores de risco para o surgimento de futuras pandemias, além de ser devastador para o bem-estar individual de inúmeros animais selvagens.

A Born Free trabalha incansavelmente para acabar com o comércio ilegal de animais silvestres e para garantir que qualquer comércio legal seja regulamentado de forma robusta para proteger o bem-estar dos animais afetados e eliminar quaisquer riscos associados à conservação da vida silvestre e à saúde animal ou humana.

Fomos fundamentais para o desenvolvimento e a recente revisão do Plano de Ação contra o Tráfico de Animais Silvestres da Comissão Europeia e estamos promovendo a necessidade de um acordo internacional para combater o comércio ilícito de animais silvestres, sempre com o objetivo de manter a vida silvestre na natureza, onde ela pertence.”

Tradução de Ana Carolina Figueiredo

Fonte: The Canary

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.