Botswana legaliza caça aos animais selvagens

Botswana legaliza caça aos animais selvagens

O Botswana confirmou na passada quinta-feira, dia 21 de fevereiro, a sua intenção de legalizar a caça de animais selvagens no seu território, lar da maior população africana de elefantes, segundo comunica o Le Monde. Os defensores dos animais encontram-se ultrajados.

Num relatório divulgado pelo comité presidido pelo Ministro do Desenvolvimento Rural, Frans van der Westhuizen, pode ler-se “que é necessário fazer as seguintes recomendações: o levantamento da proibição da caça” e “a introdução da chacina regular, mas limitada de elefantes”.

Estas propostas precisam ainda de ser debatidas entre os membros do governo antes de serem adotadas. “Se for necessário, vamos dar ao Parlamento a oportunidade para debater”, acrescentou o Presidente Mokgweetsi Masisi quinta-feira.

O debate sobre a legalização da caça foi lançado em 2018 após a saída do presidente Ian Khama, defensor apaixonado da vida selvagem do seu país. Em 2014, proibiu a caça comercial de elefantes e outros animais ameaçados de extinção.

No entanto, os defensores dos animais não esconderam a sua indignação perante a medida. “Que desastre!” Disse Dex Kotze, um homem de negócios extremamente envolvido na defesa da vida selvagem. “O Botswana tem 2 milhões de habitantes e a sua economia depende de diamantes e turismo. A legalização da caça poderia causar sérios danos à indústria do turismo do Botswana. É uma loucura”, acrescentou.

O Botswana é o lar da maior população de elefantes africanos, estimada em 135.000 animais em 2015.

A riqueza de sua fauna tornou o país num santuário popular para entusiastas de safáris. Uma das forças motrizes por trás do desenvolvimento da sua economia.

Fonte: Sábado / mantida a grafia lusitana original


Nota do Olhar Animal: Envie seu protesto para a Embaixada de Botswana no Brasil por meio do formulário de contato disponível em http://www.botswanaembassy.org.br/br/Contato.

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.