Brasileiros denunciam suposto criador de cachorros por maus-tratos em Lawrence, nos EUA

Brasileiros denunciam suposto criador de cachorros por maus-tratos em Lawrence, nos EUA
Animais são mantidos em local sem higiene

A redação do Brazilian Times recebeu uma denúncia sobre um caso que é, notadamente, de interesse público. Para preservar as pessoas, não serão divulgados os nomes dos envolvidos, portanto, a denúncia funcionará como uma espécie de alerta para toda comunidade ter cuidado com todas essas questões.

Segundo a informação recebida, uma pessoa que vive na cidade de Lawrence (Massachusetts), vende filhotes de cachorros ilegalmente, além de oferecer estadia e “petsitting” em sua própria residência com objetivo de cruzar animais de raça que não estão castrados.

O maior problema é que tudo isso acontece sem consentimento dos tutores e, de acordo com a denúncia, o local é insalubre e sem higiene.

Soma-se à denúncia, em uma publicação realizada em um grupo do Facebook da comunidade sobre o assunto, diversos brasileiros alegam que tiveram experiência com essa mesma pessoa e que posteriormente os animais que eles adquiriram desenvolvem problemas de saúde, geralmente frutos de cruzamentos forçados, em situações de extrema negligência.

Em algumas situações, os animais que passaram pela casa do denunciado chegaram a desenvolver doenças graves e irem a óbito. Confira abaixo alguns comentários de brasileiros que tiveram alguma experiência com o denunciado.

Portanto, é importante evitar a hospedagem de seu cachorro com Pet Sitters que você não conheça e tenha a absoluta certeza que o ambiente é limpo, desinfetado e que ele será bem tratado. Se possível, procure referências com amigos, em grupos da comunidade e caso seu pet tenha passado por uma situação de maus-tratos, entre em contato com o Animal Control de sua cidade e formalize sua denúncia, pois ela certamente faz muita diferença na vida de muitos.

 

Fonte: Brazilian Times

Você faz questão de um cão de raça? Pense duas vezes…

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.