Briga de vizinhas acaba com galinha espetada em portão e vira caso de polícia

Briga de vizinhas acaba com galinha espetada em portão e vira caso de polícia
No portão, resquícios do empalamento do animal (Foto: Henrique Kawaminami)

A relação de duas vizinhas na rua Anhanguera, bairro Piratininga, em Campo Grande, MS, que nunca foi das mais amistosas, atingiu nível mais crítico hoje, depois de que o cachorro de uma delas atacou a galinha da outra. Para evidenciar o descontentamento, a tutora da ave fincou o bicho no portão da casa da outra, que chamou a PM (Polícia Militar).

“Foi uma cena horrorosa”, lembra a autônoma de 48 anos, que não quis ter o nome divulgado. A galinha foi encontrada empalada por volta das 7h40.

A mulher conta que mora no bairro há 40 anos e já teve atritos com a vizinha por causa do muro que separa as casas.

Animal empalado no portão, hoje de manhã (Foto/Arquivo pessoal)
Animal empalado no portão, hoje de manhã (Foto/Arquivo pessoal)

A autônoma conta que as raízes da árvore no quintal da casa da outra começou a invadir o terreno e quebrou o muro. Como a mulher não quis fazer o reparo, a autônoma colocou tijolo e tábuas para que nenhum dos seus seis cachorros escapassem ou entrassem no quintal da outra.

Galinha foi retirada do portão e colocada na lixeira (Foto: Henrique Kawaminami)
Galinha foi retirada do portão e colocada na lixeira (Foto: Henrique Kawaminami)

Porém, a vira-lata Nina foi o estopim da relação já estremecida. O animal venceu o obstáculo colocado pela autônoma, invadiu o quintal e atacou uma das galinhas da vizinha.

Segundo a autônoma, a dona da galinha, aos gritos, pegou o animal e o espetou no portão da casa da outra. “Gritou com minha mãe, que tem 72 anos, falava que queria R$ 30 pela galinha e que não ia fechar buraco nenhum porque não foi ela quem abriu”, lembra.

Enquanto o animal ficou agonizando no portão, a mulher entrou no carro e saiu.

A autônoma resolveu acionar a PM, que foi até o local por volta das 9h. A equipe a orientou a registrar boletim de ocorrência por injúria. Depois disso, a mulher retirou a ave do portão, colocou em saco plástico e colocou na lixeira.

“Não tinha problema em pagar pela galinha, mas ela poderia ter vindo conversar, mas desrespeitou minha mãe, fez escândalo”, disse a autônoma. “Minha filha de 10 anos ficou horrorizada com essa cena”.

A mulher diz que a vizinha tem relação problemática e que implica quando a autônoma resolve fazer algo no muro. “Quando ela colocou concertina, não avisou, quando vou fazer alguma coisa, acha ruim”. Até o fim da manhã, a tutora da galinha não havia voltado para casa.

Fonte: Campo Grande News

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.