Brigada flagra rinha de galos em Bom Princípio, RS

Brigada flagra rinha de galos em Bom Princípio, RS

Donos da casa e das aves foram detidos.

Por Guilherme Baptista

RS BelaVista rinha

A Brigada Militar de Bom Princípio, com o apoio de soldados de Feliz e São Sebastião do Caí, fechou na noite do último sábado, dia 11, uma rinha de galo que existia num galpão de uma propriedade do bairro Bela Vista. No local chegaram a ser presos o proprietário da residência e donos de aves.

No início da noite o comandante da Brigada, sargento Marcelo dos Santos Carvalho, conta que recebeu uma denúncia, por volta de 20 horas, de que teria a rinha de galo nos fundos de uma casa. Uma viatura de Bom Princípio foi até o local e ao constatar o grande movimento, com entre 30 a 40 pessoas no rinheiro, pediu o apoio de colegas da Feliz e do Pelotão de Operações Especiais do 27º BPM do Caí. Ao ver os brigadianos, muitas pessoas correram para o mato. Conforme o sargento Marcelo, mesmo fugindo elas estão sendo identificadas através de seus veículos, que estavam estacionados no local. A maioria dos carros eram de Bom Princípio, mas também haviam alguns de fora da cidade.

Foram detidos no local os donos da casa e proprietários de aves, entre outros. Não foram divulgados os nomes dos quatro detidos, apenas as iniciais AH, LG, ELG e LRJ. De acordo com o sargento Marcelo, foi registrado um termo circunstanciado (TC), devido a contravenção penal, onde poderão responder processo em liberdade por de maus-tratos de animais e jogos de azar.

Um total de 25 aves foram apreendidas, sendo quatro delas bastante feridas e o restante dos galos com sinais também de maus-tratos. Eles ficaram no local tendo o dono como fiel depositário até a Justiça decidir o destino das aves. Também foi apreendido um livro de anotações onde constariam apostas, além de artefatos como biqueiras de metal e esporas.

Em quatro anos atuando em Bom Princípio, o sargento Marcelo diz que é o primeiro flagrante de rinha de galo. Mas ele lembra de outros já ocorridos no Vale do Caí. E alerta que se trata de crime, com denúncias podendo ser encaminhadas mesmo de maneira anônima para os telefones 3634 2324, 190 ou 9723 4442.

Fonte: Fato Novo

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.