Buldogues são resgatados em situação de maus-tratos na comunidade de Acari, no Rio

Buldogues são resgatados em situação de maus-tratos na comunidade de Acari, no Rio
Equipe da Secretaria de Proteção e Defesa dos Animais em resgate de cães em Acari — Foto: Divulgação

A Secretaria de Proteção e Defesa dos Animais resgatou nesta quarta-feira (22) dois cães, da raça buldogue francês, que estavam sofrendo maus-tratos, sem água, sem comida, cobertos de carrapatos, em um local completamente insalubre na comunidade de Acari, na zona norte do Rio. O resgate aconteceu após denúncias feitas a central de atendimento 1746.

Os cães foram levados para o Centro de Proteção Animal Fazenda Modelo, onde devem receber tratamento contra ectoparasitos, além de passar por exames laboratoriais. Após os cuidados os cães seguiram para adoção através do Entrega Pet.

Equipe da Secretaria de Proteção e Defesa dos Animais em resgate de cães em Acari — Foto: Divulgação
Equipe da Secretaria de Proteção e Defesa dos Animais em resgate de cães em Acari — Foto: Divulgação

‘Caso tenha interesse em adotá-los entre em contato através do nosso WhatsApp: (21) 97733-0193. Faço também um apelo à população, não tenham medo, denuncie, seu anonimato será garantido. E estamos aqui para salvar esses animais, nos ajude adotando, fazendo lar temporário!” Disse o Secretário de Proteção e Defesa dos Animais, Flávio Ganem.

Como denunciar? Todas as solicitações de denúncia de maus-tratos devem ser feitas através da central de atendimento do 1746, ou através do site: www.1746.rio. A Prefeitura do Rio recebeu somente neste ano, mais de 4 mil solicitações através do 1746 para verificação de maus-tratos e resgate de animais.

O Centro de Proteção Animal Fazenda Modelo abriga cerca de 800 animais resgatados de maus-tratos ou de situação de risco e abandono. Os animais já estão castrados, com microchip de identificação, vacinados e vermifugados e aguardam a adoção para receber um novo lar.

cães resgatados em Acari — Foto: Divulgação
cães resgatados em Acari — Foto: Divulgação

Fonte: g1

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.