Inglaterra caca raposa H

Caça à raposa já teve sua vez, de acordo com os últimos números da Liga Contra os Esportes Cruéis da Inglaterra

Tradução de Alice Wehrle Gomide

Inglaterra caca raposa

A oposição à caça à raposa está cada vez maior, de acordo com os últimos números liberados por uma organização para o bem-estar dos animais.

A última enquete anual feita pela League Against Cruel Sports (Liga Contra os Esportes Cruéis) mostra que a oposição à legalização dos “esportes sangrentos” e a caça com cães está crescendo.

Números mostram que 83 % são contra a legalização da caça às raposas, 85 % são contra legalizar a caça aos veados e 87 % são contra a caça aos coelhos.

As caçadas entrarão em vigor no ‘Boxing Day’, onde muitos dos envolvidos esperam que o governo novamente tente revogar a Lei da Caça, a qual tornou ilegal caçar mamíferos selvagens com cães desde 2004.

Enquetes consistentes com as mesmas questões durante muitos anos mostram que a oposição à caça à raposa vem aumentando consistentemente de 72 % contra o esporte, em 2008, para um nunca antes visto 83 % em 2015.

Este aumento inclui um forte crescimento na oposição vindo daqueles que moram nas áreas rurais, com números indo de 69 % para 84 % contra em apenas três anos.

Tom Quinn, diretor de campanhas da League Against Cruel Sports, disse: “Nós temos muitas novas informações sobre o que as pessoas pensam sobre a caça, e não são boas notícias para a pequena, mas obcecada, minoria que quer matar animais por diversão”.

“A oposição à legalização da caça à raposa é a maior que já existiu. Acreditamos que isto mostra que, como uma nação, a grande maioria de nós repele o pensamento de matar animais por esporte. Estamos em 2016, pelo amor de Deus, certamente já passamos este tipo de barbaridade?”

“Crucialmente, mais de oito entre dez residentes rurais são contra a legalização da caça à raposa, um aumento dramático em somente três anos. Isto destrói o argumento dos caçadores que são somente as pessoas ‘urbanas’ ou ‘ativistas’ que se opõem à caça porque elas não a compreendem. As próprias pessoas que sabem o que é realmente caçar estão dizendo que já basta”.

“Com certeza haverá fotos no ‘Boxing Day’ de algumas pessoas apoiando as caças – mas estes números mostram a condenatória realidade. A caça é uma tradição que ninguém, além de uma pequena minoria, quer, precisa ou se importa mais, e aqueles realizando as caças precisam aceitar isso e seguir em frente”.

Análises separadas feitas pela organização ativista das intenções de votos dos parlamentares durante a tentativa fracassada em 2015 do governo para trazer de volta a caça também revela um aumento massivo da oposição à legalização da caça, vindo dos Parlamentares Conservadores.

Essa pesquisa mostra que ao menos 50 Parlamentares Conservadores declararam abertamente em público que eles irão se opor à revogação da proibição da caça, com mais talvez outros 20 se opondo à revogação em privado.

Isto comparado aos somente seis Parlamentares Conservadores que apoiaram a Lei da Caça quando foi feita 11 anos atrás.

Roger Gale, Membro do Parlamento para North Thanet, presidente do Bem-Estar Animal Conservador, patrono do Blue Foz e um membro vitalício da Liga disse: “O apoio à proibição da caça entre os Parlamentares Conservadores aumentou muito ao longo do último ano e agora atingiu seu ponto mais alto. No começo, eu era uma das poucas vozes conservadoras falando contra a caça à raposa”.

“O recente aumento no número de Parlamentares Conservadores que agora são publicamente contra a revogação da Lei da Caça significa que qualquer tentativa de revogar a Lei neste ponto está fadada a falhar. A caça de animais selvagens com cães é um passatempo que corretamente vem sendo consignado para a lixeira da história, juntamente com a briga de galos, briga de cães e o uso de ursos como iscas. A caça à raposa já teve seu tempo”.

Fonte: Western Gazette

Mais notícias

{module [427]}

{module [425]}

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.