Caçador é morto por amigo ao ser confundido com javali na zona rural de Itanhandu, MG

Caçador é morto por amigo ao ser confundido com javali na zona rural de Itanhandu, MG

Um homem de 43 anos morreu depois de ser atingido por um tiro acidental enquanto caçava um javali na manhã de domingo (2) na zona rural de Itanhandu (MG).

Homem mata amigo em caça de Javali

Homem mata amigo durante caça de javali em Itanhandu no Sul de MinasDos amigos da Rede Mais

Julkaissut Notícias de Varginha Maanantaina 3. elokuuta 2020

Segundo a Polícia Militar, a vítima estava com um amigo em uma fazenda, quando acabou sendo confundido com o animal e foi atingido pelo disparo do companheiro.

Para a polícia, o homem que disparou o tiro disse que primeiro a vítima deu um tiro no javali e correu para verificar se havia acertado o animal. Nesse momento, conforme o relato do homem, ele se confundiu, pensou que o animal estava se movimentando na mata e fez o disparo.

Depois de atirar, ele ouviu a vítima pedindo socorro e percebeu que havia atingido o companheiro. Ele ainda tentou socorrer o amigo, mas não conseguiu devido às condições do terreno.

A polícia isolou a área e chamou a perícia, que liberou o corpo para o IML. As armas usadas pela vítima e pelo suspeito foram apreendidas.

Conforme a Polícia Militar Ambiental, a caça ao javali não configura crime ambiental, por se tratar de um animal que não faz parte da fauna silvestre brasileira. O suspeito foi levado para a delegacia. O corpo do homem foi sepultado na tarde de domingo no Cemitério de Itanhandu.

Fonte: G1


Nota do Olhar Animal: Em uma audiência pública tempos atrás, um caçador defendeu sua atividade da acusação de que animais parecidos com os javalis estavam sendo abatidos por “engano”. Disse o caçador que quem está habituado com a caça não confunde javalis com catetos ou queixadas, que caçador conhece bem as diferentes espécies e que pensar que há  confusão era coisa de ‘gente da cidade’. No entanto, já são vários os casos em que os caçadores matam uns aos outros, confundindo humanos com javalis, espécies nada semelhantes. Claro, a argumentação em favor da caça aos javalis é indefensável também por vários outros motivos e esconde seu principal propósito, que é a caça para entretenimento. A tentativa de naturalizar o abate dos javalis é vergonhosa. Alegam que estes devem ser mortos para o controle populacional, o que é insustentável do ponto de vista ético e é também um erro metodológico crasso, que vem agravando o problema da superpopulação com as “bênçãos” ineptas das autoridades que deveriam atuar sobre a questão. A ONG Olhar Animal ajuizou no fim de 2019 uma Ação Civil Pública em que busca interromper esta atividade ilegal, imoral e ineficaz.

ONG Olhar Animal aciona Justiça Federal contra a CAÇA e afirma: ‘Caçadores estão aumentando a população de javalis’

Controle populacional de javalis

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.