Foram apreendidas armas, munições e mais de 20 aves silvestres

Caçadores são presos em unidade de conservação e multados em mais de R$ 81 mil em São Sebastião, SP

Dois caçadores foram presos em um rancho utilizado para caça de animais silvestres, dentro da Unidade de Conservação, localizada no bairro Pontal da Cruz, em São Sebastião.

A Polícia Militar Ambiental, juntamente com agentes da Fundação Florestal percorreu duas horas de trilha no interior da unidade até chegar ao rancho.

No local, encontraram dois homens e duas espingardas, uma de calibre 20 e outra calibre 28, 12 munições calibre 20, 12 munições calibre 36 e 12 munições de calibre 28, todas intactas.

Os policiais e os agentes localizaram também uma gaiola contendo uma ave silvestre usada como “chama” (utilizada para atrair outras aves).

Os suspeitos confessaram a posse das armas e aves. A equipe foi até a residência de um dos homens, onde encontraram mais duas espingardas, sendo uma de calibre 28 e uma de calibre 36 ; 73 munições de calibres diversos; quatro espingardas de pressão e 22 aves silvestres de espécies diversas mantidas ilegalmente em cativeiro, em condições de maus-tratos.

Os policiais deram voz de prisão a ambos, com base nos artigos 25 e 29 da resolução SMA 48/14 e apresentaram a ocorrência na delegacia de Polícia Civil, onde o delegado de plantão ratificou a prisão com base nos artigos 29, 40 da lei federal 9.605/98 e artigo 12 da lei 10.826/03 do Estatuto do Desarmamento e apreendeu as armas e as munições. Foi estipulada fiança de R$ 4 mil.

Na esfera administrativa foi lavrado o Auto de Infração Ambiental em cada infrator, com base no artigo 29 da Resolução da Secretaria do Meio Ambiente Nº 048/14, com aplicação de multa no valor R$ 69 mil resultante dos maus tratos e no artigo 25, parágrafo 3º, inciso III, totalizando o valor de R$ 81,5 mil.

Os animais foram reintroduzidos na natureza, pois haviam sido capturados recentemente e apresentarem condições para soltura.

A Polícia Militar Ambiental informa que denúncias podem ser feitas pelo telefone (12) 3886-2200.

Fonte: Nova Imprensa

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.