Cachalote-pigmeu foi encontrada morta em praia de Laguna — Foto: Santiago Anguita / PMP-BS

Cachalote-pigmeu é encontrada grávida e morta em praia de Laguna, SC

Um golfinho fêmea, da espécie Cachalote-pigmeu (Kogia breviceps), foi encontrada grávida e morta na Praia do Cardoso, em Laguna, no Sul catarinense, na tarde de terça-feira (22). O animal tinha 2,65 metros de comprimento e pesava 325 quilos, e o filhote media 64 centímetros.

De acordo com pesquisadores do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), responsáveis por atender a ocorrência, a fêmea apresentava uma parasitose próximo ao canal auditivo, o que pode ter causado o aparecimento na praia.

O golfinho foi encaminhado para a Unidade de Estabilização de Fauna Marinha da Udesc, em Laguna, onde foi realizada a necropsia para tentar identificar a causa da morte.

Filhote media 64 centímetros de comprimento — Foto: Santiago Anguita / PMP-BS
Filhote media 64 centímetros de comprimento — Foto: Santiago Anguita / PMP-BS

Ainda segundo o projeto, este foi o quarto caso de Cachalote-pigmeu encontrado em praias de Santa Catarina. Além das causas da morte, a equipe está analisando as amostras dos órgãos do animal que podem colaborar na obtenção de novos dados sobre a espécie.

A espécie

Segundo o pesquisador Santiago Anguita, do PMP-BS, essa espécie de animal raramente é vista em praias do Litoral catarinense. Ele explica que quando o animal fica próximo à superfície não faz movimentos visíveis e emerge lentamente para o fundo do oceano.

O Cachalote-pigmeu é uma espécie de cetáceo dentado, que atinge até quatro metros de comprimento. A espécie é encontrada normalmente nos Açores, em Portugal. São animais que buscam nadar a cerca de 300 metros de profundidade.

Espécie normalmente é vista nos Açores, em Portugal — Foto: Santiago Anguita / PMP-BS
Espécie normalmente é vista nos Açores, em Portugal — Foto: Santiago Anguita / PMP-BS

A equipe do projeto solicita que em casos de animais marinhos encontrados vivos ou mortos em praias de Santa Catarina, seja feito o acionamento dos profissionais por meio do telefone 0800 642 3341.

Fonte: G1

Os comentários abaixo não expressam a opinião do Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.