Cachorra cuidada por ONG é morta por envenenamento em Caculé, BA

Cachorra cuidada por ONG é morta por envenenamento em Caculé, BA
Foto: Reprodução/Instagram

Mesmo a ação de maus-tratos sendo passível a pena de detenção ou multa, animais – principalmente cachorros e gatos, estão sendo mortos por envenenamento em Caculé. Na manhã da última terça-feira (23), mais uma mascote da ONG Quatro Patas foi morta. A cachorrinha, carinhosamente conhecida como Mel ou Gordinha, foi encontrada agonizando em uma via pública e, após a verificação, foi confirmado o seu envenenamento. 

Em um post bastante sensível, o perfil da ONG noticiou o ocorrido e gerou uma enorme comoção entre os seguidores. Segundo o escrito, Mel vinha se recuperando bem de um acidente ocasionado por um atropelamento, onde o autor não prestou os devidos socorros, e por consequência, a cachorra precisou passar por uma cirurgia de amputação de uma das patas traseiras. 

Foto: Reprodução/Instagram

Após ser recuperada pela ONG para tratar os ferimentos ocasionados pelo atropelamento, Gordinha foi encaminhada para uma residência, onde recebeu todos os cuidados e afeto necessários para a sua recuperação. Por ser uma cachorra de rua, a sua pós-recuperação ficou dividida entre o novo lar e a rua, onde diversos moradores disponibilizavam a ela, alimentos e cuidados.

Crime

Segundo a LEI Nº 9.605, DE 12 DE FEVEREIRO DE 1998, praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos e similares, é crime, que pode ocasionar pena-detenção, de três meses a um ano, e multa. A pena pode ser aumentada de um sexto a um terço, caso ocorra a morte do animal. Em se tratando de cães ou gatos, a pena para as condutas, será de reclusão de dois a cinco anos, multa e proibição da guarda. 

Todos os direcionamentos jurídicos citados, são reforçados pela Lei nº 14.064, de 2020. 

Por Josivan Vieira

Fonte: Informe Cidade

Os comentários abaixo não expressam a opinião da ONG Olhar Animal e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.